Viver o presente

 

Muita gente com 25 anos de idade inveja a experiência de pessoas com 50 e, na ansiedade de que o tempo passe logo, não vive o presente.

Muita gente com 50 anos de idade inveja a juventude de pessoas com 25 e, na nostalgia melancólica em relação à idade que já passou, não vive o presente.

Fugir do agora é o melhor jeito de torná-lo ruim ou pior do que já está. Observar e aprender com a experiência de alguém mais velho,  pode melhorar a vivência do agora.

Foto: Divulgação

Observar e deixar-se contagiar pelo viço de alguém mais novo, pode melhorar a vivência do agora.

Na medida em que vivemos exclusivamente em função do futuro ou do passado, deixamos de viver o presente. Como o presente é a única coisa que, de fato vivemos então, nessa medida, vivendo o futuro ou o passado NÃO ESTAMOS VIVENDO!

Ficamos em um estado de suspensão existencial. É preciso fazer o que temos que fazer, no agora, com 100% de presença.

O melhor do passado já está na pessoa, a experiência. O futuro (ainda) não existe e, quando chegar, será um novo agora. Faz parte do presente pensar e agir um tanto visando o futuro, mas isso não pode impedir de se viver o presente.

Se vivermos em função de algo que não existe, NÃO VIVEMOS!
O presente é o melhor presente de todos os tempos.

Foto: Divulgação

 

Comentário 1

  • Maria Eugenia Cerqueira14/10/2012 em 15:05

    O homem põe e Deus dispõe, já diz o ditado, portanto agarremo-nos no aqui e agora!

  • Adicionar comentário