Tai chi chuan

 

Tai chi chuan é uma arte marcial interna chinesa, categoria nomeada em chinês de neijia.

Este estilo de arte marcial é reconhecido também como uma forma de meditação em movimento.

Os princípios filosóficos do tai chi chuan remetem ao taoísmo e à alquimia chinesa.

A relação de yin e yang, os cinco elementos, o ba gua (Oito Trigramas), o Livro das Mutações (I Ching) e o Tao Te Ching de Lao Zi são algumas das principais referências para a compreensão de seus fundamentos.

Os textos clássicos do Tai Chi Chuan escritos pelos mestres orientam a:

Vencer o movimento através da quietude (Yi Jing Zhi Dong);

Vencer a dureza através da suavidade (Yi Rou Ke Gang);

Vencer o rápido através do lento (Yi Man Sheng Kuai);

O tai chi chuan tem suas raízes na China, sendo atualmente uma arte praticada no mundo todo. É apreciado no ocidente especialmente por sua relação com a meditação (tao yin) e com a promoção da saúde, oferecendo aos que vivem no ritmo veloz das grandes cidades uma referência de tranquilidade e equilíbrio.

Os criadores do tai chi chuan basearam sua arte na observação da natureza – não apenas na observação dos animais, mas no estudo dos princípios da interação entre os diversos elementos naturais.

Como somos parte desta natureza, o conhecimento destes princípios e de como atuam dentro de nós, estudados pela medicina tradicional chinesa, revelam o tai chi como uma fonte efetiva de energia que se encontra em nosso interior, situada na região do corpo nomeada pelos chineses de dantian médio.

Os ideogramas que compõe a palavra tai chi chuan significam:

太, Tai significa “o maior”, “o mais alto”, “supremo”, “absoluto”.

拳, Chuan (ou Quan) significa Punho, aqui simbolizando “soco”, “luta à mãos livres” (desarmadas), “boxe”.
Diagrama do Tai Chi.

Portanto, algumas das possíveis traduções literais de tai chi chuan são: “Punho da suprema cumeeira”, “punho do limite supremo” ou simplesmente “punho do tai chi”.

Como cada ideograma pode ter mais de um sentido, há outras formas de traduzir o termo além destas.

No taoísmo, onde o tai chi chuan teve sua origem, a “suprema cumeeira”, ou “limite absoluto” tem a conotação filosófica de “elevação”, “sublimação”, “purificação”, resultante, entre outras, do desenvolvimento de um mecanismo de defesa emocional pelo qual tendências ou sentimentos inferiores se transformam em outros que não o sejam.

O tai chi também simboliza o “Cosmo” e a interação, dos princípios energéticos yin e yang, em constante mutação, sendo conhecida a sua representação pelo tai chi tu (diagrama do tai chi), mais conhecido no Ocidente como o “símbolo do yin-yang”.

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

 

Adicionar comentário