Principais erros alimentares

 

Hoje em dia muito se comenta sobre a alimentação, quais são os melhores alimentos e qual a maneira certa de comer, mas as pessoas generalizam a realidade e impõem a sociedade regras que em poucos meses são desmentidas.

A verdade é que cada pessoa funciona diferentemente das outras e que ocorrem variações mesmo numa mesma pessoa, pois é através dos anos de vida que o nosso sistema digestivo amadurece.

Assim como na infância há quem não goste de verduras e que depois passa a adorá-las, também há quem apresente intolerância a alguns alimentos e que posteriormente passa a digeri-los completamente. É por isso que não há uma dieta certa. É o paciente que acompanhado por um profissional capacitado, vai descobrir o que funciona melhor para ele.

Mas na infância pode prestar atenção na criança e descobrir o que funciona melhor para ela nesta fase. Existem várias tabelas alimentares para orientarem os pais sobre quais alimentos devem ser introduzidos e quando, mas é observando o padrão digestivo das fezes e reflexo dos bebês é que usada é a mais adequada.

Foto: Divulgação

Na infância até os 10 anos os pais querem introduzir frutas, verduras e legumes na dieta das crianças, mas às vezes eles mesmos não consomem isso em casa. A criança copia o adulto referencial. É importante melhorar o hábito alimentar da família toda para que a criança siga o exemplo.

Também não adianta forçar nada, pois nossas papilas gustativas foram preparadas para preferir o doce. Esta era a forma dos 1º homens perceberem o que fazia bem ou mal ainda na pré-história. Por isso é normal as crianças preferirem comer doces. É o instinto de sobrevivência.

Hoje em dia os médicos se deparam com inúmeros distúrbios e intolerâncias digestivas no consultório. São gastrites, diarréias, constipações, alergias, fadiga crônica, obesidade, bulimia e anorexias, todas podem ter causas patológicas  provocando a doença, mas a maioria se inicia com a persistência de 1 erro alimentar. O ser humano é onívoro e por isso pode comer de tudo, mas não precisa comer tudo!

As gastrites, colites, disbiose, obesidade e anorexias respondem muito bem ás mudanças. É preciso lembrar que nosso corpo é uma máquina perfeita que precisa de combustível certo.

Foto: Divulgação

Segue exemplos de substâncias e/ou atitudes que contribuem para causar:

Gastrite – excesso de comida, temperos, alho, pimentão; comer e dormir colite – gorduras saturadas, temperos em pó, glutamato, café.

Anorexias – glutamato, açúcar, refrigerantes, cigarros, café, distúrbios psicológicos.

Disbiose – introdução precoce ás massas, gorduras saturadas e trans.

Esses distúrbios digestivos causam outras doenças como enxaquecas, candidíase de repetição e fadiga crônica. Por isso é tão importante estar atento e comer bem.

Existem regras de ouro para que a gente melhore nossa alimentação:

1)      Comer em pequenas quantidades e várias vezes por dia.

2)      Descansar um pouco após as maiores refeições.

3)      Não deitar. Fazer uma pequena caminhada após a maior refeição.

4)      Respeitar seu metabolismo e necessidade calórica comendo apenas o que precisa.

5)      Respeitar seu relógio biológico.

Mas quando já há distúrbio instalado deve-se procurar um médico para corrigir o erro.

Foto: Divulgação

 

Adicionar comentário