Futuro?

Planejamento Futuro

Muitas pessoas que se aposentam buscam novas atividades em campos que lhes pareciam atraentes e que não foram desenvolvidas por falta de tempo e, muitas vezes, de disponibilidade financeira. Todo empreendimento impõe uma série de despesas e é preciso fazer um planejamento para que o sonho seja economicamente viável e não sirva para sangrar as poupanças de toda uma vida, sem retorno.

Antes, portanto, de qualquer tipo de investimento, há que ser feito um questionamento sério que pode ser sumarizado nas dez questões propostas a seguir, por Jane Porter, jornalista independente de Nova York, com textos publicados em revistas como BusinessWeek, The Wall Street Journal entre outras.

Foto: Divulgação

1. Qual o perfil do meu cliente?

Talvez seu produto ou serviço possa parecer uma excelente ideia, mas, você consegue definir quem mais possa estar interessado nela? Pergunte-se quais os maiores problemas do seu consumidor e veja como seu produto pode ajudar a solucioná-los naquela área específica ensina David Dodge fundador do “The Business Model Foundry”, que fornece ferramentas digitais para ajudar a desenvolver idéias de novos negócios. “É preciso estudar e compreender o mercado”, afirma David Dodge, “penetrar fundo nele e descobrir tudo a respeito”.

2. O que estou substituindo?

Seja qual for sua ideia, alguém está no mercado comprando algo que vai ser substituído talvez pelo que você quer implementar ou introduzir. Verifique se o que está sendo oferecido consegue superar o que já existe. Isto não precisa se limitar a produtos com o mesmo propósito que o seu, mas verifique os hábitos de consumo do seu público alvo e considere como redirecionar seus gastos para incluir o que está sendo oferecido.

3. Como consigo demonstrar minha ideia para os outros?

A ideia têm que ser o mais tangível possível. Isso talvez implique em desenvolver desenhos, planilhas, modelos, eventualmente protótipos. A necessidade de explicar de uma forma fácil seu projeto, faz com que você realize o quanto é viável e este aspecto é primordial.

4. Quem comporá meu grupo de trabalho?  

Foto: Divulgação

Nos estágios iniciais, você tem que pensar com quem deve se orientar para receber conselhos profissionais honestos e também que tipo de especialistas vai precisar ao seu lado, nas áreas de marketing, desenvolvimento e outras. Descubra um meio de suscitar interesses nessas pessoas, para que se deixem envolver no seu projeto.

5. Que recursos serāo necessários?
Como você pode fazer sua ideia acontecer? Isso implica em questionar quanto será preciso para manufaturar o produto, o espaço físico requerido, escritório, computadores e tudo o mais, dependendo do caso. Faça uma lista detalhada e verifique se o projeto é viável antes de investir tempo e dinheiro.

6. Quanto tempo leva o processo de compra? 
É necessário definir o prazo de retorno do serviço ou produto para, estimar o volume do investimento antecipado. Quanto maior o ciclo, mais dinheiro terá que ser colocado de antemāo, antes de começar o faturamento. Por exemplo, se estiver vendendo tecnologia a um hospital, o retorno levará talvez dezoito meses para acontecer, ao passo que se o produto for um aplicativo para iphone, será imediato.

7. Como predizer um retorno dentro do razoável? 

É preciso analisar a operação com acuidade para chegar a um prognóstico realista. Se a meta for abrir um restaurante, por exemplo, não se limite a pesquisar o faturamento médio anual dos restaurantes da cidade. Considere o tamanho, capacidade de atendimento, rotatividade, a média de gastos do cliente e as horas de operação. Tudo tem um peso na avaliação e fornecerá dados importantes a serem avaliados.

8. Qual o potencial de crescimento da idéia?
Pense até que ponto seu negócio pode atingir suas expectativas. Por exemplo, se você está escrevendo software, construindo simulações ou criando algo manualmente, compreenda que não crescerá como se estivesse produzindo algo em escala industrial. Seu tempo é finito e isso precisa ficar bem óbvio.

9. Será que tenho os conhecimentos necessários?
Ter uma ideia e fazê-la acontecer são coisas distintas. É preciso ter a consciência da própria capacidade técnica e ver se existe possibilidade financeira de preencher esta lacuna com ajuda qualificada.

10. Eu me vejo fazendo isso pelos próximos dois anos, pelo menos? 
Ter uma ideia singular pode ser uma coisa excitante, mas será que o entusiasmo perdurará?Você tem o apoio de sua família e parentes? Você está disposto a fazer os sacrifícios que o trabalho irá requerer? Pense sempre que as oportunidades implicam em dedicação e custos além de energia.

Os tópicos abordados não visam desestimular ninguém a partir para novos rumos na vida, mas tão somente ressaltar a importância de fincar os pés no chão para evitar fracassos e subsidiar êxitos. Os sonhos foram feitos para serem realizados, de forma objetiva e prática.

 

Adicionar comentário