Out ship

 

Se você não faz parte da minha turma que ama cruzeiro, paciência. O que seria do amarelo se todos gostassem do azul? Estando ou não navegando pelas águas gélidas, há programas imperdíveis no Alaska que são absolutamente “out ship”.

As principais cidades foram formadas à época  da corrida do ouro e  mantém as características arquitetônicas originais. Entre pequenas lojas com suas portas de saloons e varandas com piso de madeira, tem-se a sensação de estar participando como figurante de uma tomada de filme de faroeste. Mas eventuais cavalos não chegarão  espalhando terra e poeira por tudo quanto é lado, pois a temperatura média é de 5 graus e no verão  chega aos 27 graus no máximo.

Juneau- capital do Alaska, com  população  que não ultrapassa á 32 mil habitantes. Super charmosa, e pelo que sei, os poucos mal humorados do pedaço, trancam-se  nos hotéis prestando serviços. Mas também perder a chance de pegar um sol e cruzar com os mais de 12000 desconhecidos que saem dos navios atracados no seu porto, deve gerar uma tremenda insatisfação mesmo.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Para os que curtem caminhadas, chegar por trilhas ao Mendenhall, deve ser o máximo. Ainda por cima tem a chance de pisando em terra firme, assistir a um desfile de baleias orcas.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Skagway- Aos atletas, caminhadas á vontade. Mas se resolverem acrescentar adrenalina, a recomendação é pegar um singelo e aparentemente seguro trenzinho que sai da romântica estação onde Dolly acenava seus lenços de adeus e ir alimentando a vista com as lindas plantinhas com reflexos de gelo aqui e ali.

Quando menos se espera avistam-se pontes em alturas incalculáveis e a certeza de que logo o Maria-Fumaça vai fazer piuiiiii lá em cima, o seu coração já acelera por antecipação.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Tudo bem que a ferrovia é considerada obra prima da engenharia, com seus 32 km atravessando pelas tais pontes nas altíssimas montanhas. Mas a gracinha de parar a locomotiva no meio de uma delas, simulando uma pane a 3 mil metros de altura, poderia ser descartada do programa.

Icy Strait Point – Nesta não tem jeito. Ou por ar ou por água. Nada de  caminhadas. Mas nesta ilhota, um cerimonial com os nativos ao redor da fogueira, comendo um hambúrguer de salmon, pode ser interessante. Afinal de contas é a cidade testemunha viva do passado.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Ketchikan- Aos mais tranquilos, pegar um ônibus que depois de dar um passeio pela cidade, desce uma rampinha e vira barco… boa opção. É o único tour anfíbio do Alaska. Sem sair da poltrona, você aprecia as vitrines cheias de souvenir e em seguida está no meio da água atravessando o Estreito de Tonga e se der sorte, cruza com umas orcas.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Mas aos aventureiros, grandes atrações. Um passeio de hidroavião que te deixa maravilhado ao ver de cima as incriveis geleiras, mas em meio pânico quando aterrisa no meio de um lago gelado e te convidam para esticar as pernas e tomar um drink out-side.

Do mesmo hangar, helicópteros à disposição para sobrevoar as montanhas brancas, em direção do habitat dos ursos pretos. O máximo ver estes enormes animais, só conhecidos por nós enfurnados dentro de jaulas em zoológicos.

Foto: Divulgação

Mal acaba o deslumbramento em ver ao vivo e a cores estas cenas, começa o movimento de descida para o campo de treinamento dos cães que se preparam para puxar os entusiasmados turistas nos trenós.

Husky siberianos, Malamute, Samoieda e Gronlandshund, disputam a medalha do cachorro mais bonito. Mas todos preparadíssimos para o exercício de suas funções lúdicas também. Atados em cordas, formam duas filas de quatro em cada e esperam pacientemente o desengonçado ser humano se acomodar confortavelmente e daí saem em disparada pela neve, ameaçando darem sumiço no coitado. Mas  simples brincadeirinha de gosto duvidosa, pois em dois tempos já de volta ao acampamento no pico da montanha.

Já que a opção não é mesmo o navio, enquanto a minha turma descansa no hotel flutuante quatro estrelas para se preparar para as próximas aventuras, você estará se deliciando com salmões no café da manhã, almoço e jantar, pois a região é o paraíso desta iguaria.

Em compensação, estará em contato direto com a turma de mal-humorados dos hotéis, mas… em terra firme.

 

Comentários 2

  • Ana Boucinhas16/07/2012 em 09:53

    Demorei dois segundos pra entender que sua viagem foi virtual!Estou começando a ficar lerda…preocupante rs! Mas nestes segundinhos revistei o navio inteiro!

  • dalva martins15/07/2012 em 23:28

    Adorei!!!
    Viajei com a Ana no Alaska.
    valeu!!!
    Os cruzeiros da Ana são sempre ótimas dicas.

  • Adicionar comentário