Origens do fondue

 

Depois que o chef Conrad Egit, nos idos de 1950 introduziu no seu restaurante nova-iorquino Chalet Suisse, o fondue, este passou a fazer parte do rol das iguarias internacionais. Mas sua criação foi motivada muito mais por necessidade, do que por diletantismo culinário. 

Na idade média, alguns povos dos Alpes Suíços já exímios produtores de queijos, comercializavam sua aptidão, com as nações vizinhas. Num determinado inverno, uma terrível nevasca provocou um não esperado estoque do produto, pois ficaram isolados. 

Como bons negociantes, resolveram derreter o excedente à espera da nova temporada e para que a massa se conservasse melhor, acrescentou-se kirsh, o destilado de cereja que também produziam. 

Testando a magia, esquentaram a mistura congelada em um rústico caldeirão e de teste em teste, chegaram ao resultado pretendido. Algum mais esfomeado resolveu espetar um pedaço de pão na ponte de uma madeira qualquer e surgiu o fondue!!!! 

Foto: Divulgação

Do conceito original, resta ainda o ritual de congregar amigos em torno de um quentinho réchaud em dias de frio. Com o tempo e o aperfeiçoamento da gastronomia, o fondue foi sendo aprimorado e ganhando novos sabores, sendo o último… o de mashmallow !!!!

Foto: Divulgação

 A Internet é fonte de infindáveis receitas, mas deixo consignada uma sugestão que conheci em um charmoso restaurante em Davos mini-batatas bolinha, substituindo os convencionais cubos de pão. 

Quanto à novidade do mashmallow, basta esquentar em banho-maria, e quando estiver amolecido, transferir para o coquelon e voilá.  Só em pensar nos morangos sendo mergulhados nesta maravilha, devo ter engordado dois quilos.  

Foto: Divulgação

Comentário 1

  • Marco Romanello20/05/2013 em 09:31

    Adorável! Prestativo e Cultural! Se todos fossem iguais a você….. !!!!!!!

  • Adicionar comentário