Olga Scognamiglio

 

Olga Scognamiglio é paulista e tem tudo a ver com seu signo, Aquário: refinada, idealista, perseverante e aberta à verdade, disposta a aprender com todos e capaz de ver os dois lados de um argumento, como demonstra seu estilo de vida.

Estudou como suas quatro irmãs, no Colégio Des Oiseaux,  até a conclusão do colegial. Esportista nata e foi campeã de natação e exímia tenista, o que lhe rendeu uma contusão e cirurgia no joelho bem séria. Não se deu por vencida e, perseverante focou no Pilates e nas caminhadas.

O apurado senso estético levou-a a estudar arquitetura e paisagismo. Sua visão geral a fez abranger decoração de interiores, quando se dispunha inclusive a acompanhar  os clientes da época, em viagens de garimpo das peças adequadas aos ambientes, quase sempre mais em conta do que se adquiridas no mercado local. A vida era feita de desafios em busca da excelência e de uma satisfação interior maior.

Foto: Divulgação

O cotidiano, as repetições enfadam o aquariano. Começou a abrir os horizontes estudando Feng Shui (cuja pronúncia correta, esclareceu ser “fonsuei”). Harmonizava a decoração com as energias e partiu para cursos em Boston, Califórnia e Hawaii.

O Feng Shui abrange várias escolas e Olga optou pelo Budismo Tibetano do Chapéu Negro ou Escola Californiana, criada pelo mestre Lin Yun, cuja sede fica exatamente na Califórnia, nos Estados Unidos. A intuição que já era nata, foi aprimorada e direcionada por meio de rituais, meditações e limpeza energética nos ambientes.

Foto: Divulgação

O trabalho com a Aura Soma surgiu por acaso, se é que isso existe. Foi fazer uma leitura metafísica e encantou-se. A Aura Soma consiste num sistema não invasivo de autoconhecimento, através da escolha pessoal de cento e onze óleos coloridos, que vêem em vidros de cores sólidas ou associados, essências especiais, pomanders e quintessências.

A energia vibracional e extensão da onda de luz de cada frasco tocam a alma do indivíduo, de maneira subconsciente, mas efetiva para aquela determinada situação. A mudança no estado de espírito e estágio de vida determina novas escolhas e passo a passo atinge-se saúde e bem estar através da melhora espiritual e reconhecimento dos próprios talentos e dons, ou seja, do próprio Eu interior.

Olga passou a estudar como era seu hábito em todos os campos da vida, profundamente o assunto, fazendo cursos na Bahia, Grécia e finalmente Londres, com Mike Booth, mestre herdeiro do sistema de Aura Soma no mundo. Aprendeu a interpretar a linguagem das cores de maneira digamos, clinica. Cor e consciência tornaram-se verdades interligadas e evidentes.   Os aquarianos são inteligentes, claros, lógicos imaginativos e psíquicos – Olga não fugiu à regra e há mais de quinze anos é representante oficial da Aura Soma no Brasil.

Foto: Divulgação

Nesse tempo, trouxe mestres estrangeiros do assunto para o Brasil, para dar cursos de neuro-linguística da Aura Soma, ou seja, como interpretar o cliente nas consultas, para ministrar cursos para preparar futuros profissionais. Dentre os vários mestres, um deles em especial era uma  pessoa tão iluminada, transmitindo tal paz e amor à sua volta que Olga foi buscar na Índia um curso por sua sugestão, em Andhra Pradesh, onde por vinte e um dias os discípulos de Sri Bhagavan levaram-na a um intenso trabalho de meditação até que atingisse uma consciência mais elevada do sentido da existência. Lá entrou em contato com os Cosmic Beings, pessoas que se dedicam exclusivamente à prática da meditação profunda. Mais uma vez falou alto seu lado aquariano: muitos são imaginativos e psíquicos, sentindo necessidade de retirar-se do mundo para pensar.

Adorou e explorou a fundo a experiência – foi encaminhada para um local especial, junto a mestres espirituais, artistas e escritores de vários países do mundo! Na volta, estava habilitada a trabalhar com Deeksha (pronuncia-se Diksha) que em sânscrito quer dizer literalmente Benção Divina. Trata-se da transferência de energia divina que, com o tempo, desenvolve no abençoado um estado de Oneness, unidade com o universo. Trata-se de uma alteração neurobiológica cerebral que, quando completa libera os sentidos das interferências da mente. Quando as interpretações da mente não mais limitam o pensamento, ficam restabelecidos os sentimentos de calma interior, alegria e conexão com a Unidade que existe entre todos os seres.

Foto: Divulgação

Este fenômeno, pouco divulgado no Brasil, é muito conhecido nos Estados Unidos e Europa, principalmente na Itália. Sempre se destacando, Olga foi coordenadora do movimento por cinco anos. Visitou a Índia com propósitos de estudos mais de quinze vezes, sozinha e acompanhando grupos de brasileiros.

Levou muitas pessoas também ao Peru, país de grande energia e lugares mágicos.  Um livro poderia ser escrito, descrevendo as experiências de Olga neste lugar. Esteve pessoalmente com João de Deus, em Brasília, como filha da casa, convidando-o inclusive para ir à Índia por sugestão do Mestre Bhagavan, mas que por motivos diversos não se concretizou. Lá viu mais de duas mil pessoas serem atendidas por dia, e como havia uma maioria de estrangeiros, Olga como poliglota, foi convidada para traduzir as consultas!

Foi casada durante quarenta anos, união essa que a presenteou com dois filhos varões, um dos quais herdou da mãe o pendor pelos mesmos estudos no campo espiritual.

O aquariano de modo geral, gosta de lutar por boas causas, sonhar e planejar o futuro. Perguntada sobre seus planos, disse não ter nenhum: deixa-se fluir com a vida, bem típico de quem tem conhecimento de que “O homem põe e Deus dispõe” e que metas rígidas são quase sempre abandonadas nos meandros do destino.

Em sintonia com a natureza, Olga adora cães e cavalos, com quem conviveu durante mais de trinta anos. Já que trabalha com cores, a pergunta feita, naturalmente: Qual sua cor predileta? A resposta foi abrangente: muitas, disse, dentre elas a cor turquesa, da criatividade e da mídia, e o verde e rosa da Estação Primeira da Mangueira, escola de samba de sua devoção. (Neste ponto discordamos já que sou Portelense).

Foto: Divulgação

Como havia, há tempo atrás, feito uma consulta com ela, perguntou-me como a Aura Soma estava afetando minha vida. Venho cumprindo à risca os “deveres de casa” passados pela Olga e efetivamente, como que por encanto, as pessoas começaram a se comunicar mais amistosamente comigo, do nada, em vários locais. A aura fica mais limpa e receptiva, o que atrai pelos bons fluidos emanados, Olga explicou. Estou adorando esta minha nova fase e recomendo o tratamento por experiência própria com a Sita – nome indu da Olga.

O papo poderia se estender por muito tempo, pois é um privilégio conversar com Olga Scognamiglio. Aliás, sua mãe D. Flora, do alto de seus 101 anos e seu irmão Flávio, já foram entrevistados pelo portal, cada qual numa abordagem totalmente diversa, mas todos fantásticos! Bons frutos caem perto de árvores boas e D. Flora, por certo é uma delas.

Adicionar comentário