Meninas, vamos correr !!!

Parte 2

por Maria Eugenia Cerqueira

A principal ferramenta de um corredor é o pé. Todo cuidado com ele é pouco.

Assim como o resto do corpo merece cremes hidratantes, nunca se esqueça de incluir os pés neste tratamento.

Uma semana antes de uma prova longa, comece a passar nos pés, antes de dormir, vaselina, Bepantol creme ou outra pomada que seja destinada a peles bem secas. Massageie bem  e vista um par de meias a seguir, para que o creme não se perca nos lençóis.  Lembre-se de hidratar entre os dedos.

Outro detalhe: não corte suas unhas muito rentes nem as deixe longas demais – a virtude está no meio termo. Para que as unhas não se encravem, mantenha-as cortadas com os cantos sempre retos.  Evite a ida à pedicura nos dias que antecedem  qualquer prova – vá que algum cantinho ou pele inflame, a desgraça está feita… Programe este tipo de cuidado com pelo menos quinze dias de distância do evento esportivo. Antes da prova, nada de passar cremes nos pés para que não fiquem escorregando dentro dos tênis. A hidratação é sempre prévia.

Pessoalmente, privilegio as meias de cano alto pois odeio a hipótese de que possam ser “engolidas” pelos tênis, deixando o calcanhar desprotegido e o tecido embolado dentro do calçado. Não é qualquer tipo de meia que deve ser usada na corrida. Elas têm que ser em primeiro lugar, resistentes. Precisam absorver um pouco do impacto dos pés contra o calçado e também conter o suor. Depois de testar diversas marcas, optei pelas meias Thorlo Thick Cushion. Não tenho nenhum interesse financeiro, ao citar o tipo que uso – comento simplesmente pois foi a que melhor adaptou-se às minhas necessidades.  Há uma infinidade de marcas no mercado mas sugiro que atenção especial seja dada ao amortecimento extra que as meias devem oferecer, principalmente no caso das corredoras de longa distância. Experimente nos treinos e compare. Se todos gostassem das mesmas coisas, o mundo seria muito chato.

Assim como não se deve fazer as unhas dos pés às vésperas de uma prova, evite depilar as pernas com lâmina de barbear antes de correr. O suor, fricção, sol, poeira podem provocar irritações desnecessárias.

Agora nosso assunto mais que especial: que tipo de tênis devo usar? Nunca escolha um tênis somente pela aparência… Vendedores podem ser de grande valia na sugestão de um calçado conveniente para seu tipo de pé mas o principal é você sentir-se confortável. Os tênis devem ser largos o suficiente para que não haja nenhuma constrição lateral.  Consegue abrir e mexer os dedos dentro do tênis? Faça esta experiência. Em tempo: leve suas próprias meias, quando for comprar tênis. Nada de usar a que fica disponível na loja pois não terá a mesma espessura que as suas.  Como meus pés são muito largos, sempre dou preferencia aos modelos masculinos pois os femininos são muito estreitos. Se este for o seu caso, não custa testar. Está claro que nunca haverá opções de cores tipo rosa shocking, amarelinho canário e azul bebê mas hoje em dia a linha masculina é bem alegre e diversificada  e o que importa realmente é o absoluto conforto.

Quando ao comprimento, uma dica primordial: os dedos não podem encostar na frente do tênis. Use sempre um tamanho maior que o de costume. Entre o fim do dedão, a meia e o tênis tem que sobrar espaço de pelo menos dois cm. Quando a gente corre, ao pisar no chão, o pé necessariamente vai para frente. Se não houver certa distância de folga, os dedos ficarão chocando-se com o tênis, motivo pelo qual muita gente perde as unhas ou fica com elas pretas, pelo impacto contínuo. Graças a este cuidado, nunca tive nenhum problema com minhas unhas. A “boniteza” fica para depois da corrida, durante a prática do exercício o que vale é a funcionalidade…

Se possível, escolha dois modelos que calcem bem, de fábricas diferentes e reveze nos treinos. Para as provas, veja qual deles é o mais gostoso e vá com este. Então por que ter os demais? Às vezes, sem que se perceba, um determinado modelo faz com que forcemos mais um lado que outro do corpo ou da planta do pé. O  revezamento faz com que haja variação na pisadura e com isto, evita-se lesões.

Atualmente, revezo três marcas totalmente díspares: New Balance, Brooks e Hoka. Já conversei sobre este tema com diversas pessoas e muitas delas também usavam o mesmo método, com ótimos resultados. Vivendo e aprendendo ou melhor, correndo e aprendendo.

Ainda temos muito assunto e informação para trocarmos, assim, vamos seguindo adiante, sem pressa nem canseira.  Por hoje é só!  A corrida aguarda-me!

Comentários 3

  • Silvia Cristina Ramalho17/06/2019 em 08:49

    Bom dia, eu já te admirava com as dicas que vc dava nos programas, agora então ficou completo. Estou amando, vc me inspira a seguir sempre em frente. Fale sobre, aquecimento antes das corridas e dicas caseiras de como aliviar as dores musculares após as corridas. Por que vc não faz um canal no you tube mostrando alguns treinos de corrida e dicas? Obrigada

    • Maria Manso17/06/2019 em 20:58

      Silvia, Cristina, fico muito feliz que tenha gostado da minha idéia de compartilhar experiências nas minhas correrias pelo mundo e agradeço suas palavras gentis. Vou abordar no terceiro texto, estes aspectos que você sugeriu e se você tiver dúvidas quanto a outros detalhes, avise. Esta participação é excelente para todo mundo! Quanto ao canal de Youtube, vou ponderar a respeito mas em princípio achei excelente. Beijos Maria Eugenia

  • Marli Meireles R. Hellmeister16/06/2019 em 21:34

    Adorei Maria Eugênia, como funciona?

  • Adicionar comentário