Melhor Idade Ativa

 

Os baby boomers e a atividade física

Foto: Divulgação

Em qualquer idade e em qualquer profissão, as mulheres precisam de músculos fortes para uma vida ativa. Isso não quer dizer abaulamento do bíceps e abdominais definidos – embora ficasse muito bem desde que não seja hipertrofiado. Saudáveis, corpos fortes, músculos treinados que vêm de uma rotina regular de treinamento de força. Fazer ginástica como tudo na vida é um hábito. Hábito que vicia como um jogo e é só começar.

Eu conheço mulheres (muitas) octogenárias que começaram praticar e trabalhar com pesos não para aumentar as circunferências dos músculos, mas sim, para ficar mais forte e usar o melhor da musculatura e se sentirem muito bem e muito mais dispostas. Não podemos nos enganar sobre o processo de envelhecimento que é acompanhado por uma série de alterações fisiológicas ocorridas no organismo.

Diminuição das Capacidades Físicas: coordenação motora, habilidades, equilíbrio, esquema corporal, visão e audição;

Modificações Anátomo-fisiológicas: hipotrofia cerebral e muscular, diminuição da elasticidade vascular e muscular, concentração de tecido adiposo, tendência à perda de cálcio pelos ossos, desvios de coluna, redução de a mobilidade articular, resistência cardiopulmonar, consumo máximo de oxigênio e mecanismos de adaptação (hemodinâmicos, termorreguladores, imunitários e hidratação);

Função Cognitiva – é expressa pela velocidade de processamento das informações, assim influenciadas pela quantidade de motivação e estimulação;

Alterações Psicossociais – diminuição da sociabilidade, depressão, mudanças no controle emocional, isolamento social e baixa auto-estima, ocasionadas pela aposentadoria, pela dificuldade auditiva, visual e motora, pela síndrome do ninho vazio (saída dos filhos, de casa), pela impotência sexual, entre outras.

Com toda esta mudança orgânica vale a pena o sacrifício de fazer ginástica. Preciso alertar que nos estamos falando da atividade física e não de uma modalidade só. Cada um deve escolher uma atividade respeitando a sua estrutura fisiológica.

Foto: Divulgação

 

 

Adicionar comentário