Lilian Grace

 

“PHD na arte e na ciência do amor à vida”

Foto: Divulgação

AV- Você que sempre se mostrou à frente de mudanças comportamentais, é uma das que hastearam com mais garra a bandeira que tentamos desfraldar ainda timidamente. O que lhe deixou “antenada” para ser uma das primeiras a tornar o tempo seu maior aliado?

Lilian – Tudo começou quando conheci o Pathwork que é uma metodologia de autoconhecimento, realização e confrontação de nossas emoções reprimidas, uma volta para quem somos de verdade e não o que “fizeram” de nós! Estudei 13 anos para me tornar uma profissional da área.

Neste “mergulho” para dentro de mim vi que não era só um corpo e um rosto, mas um ser em construção; foi quando escolhi me tornar minha melhor amiga e, meu tempo usado nesta exploração interna fez da vida uma aventura interessante ao invés da chatice que era. Uso o tempo ao meu favor no sentido de que quanto mais me conheço, mais quero viver e continuar o processo.

AV- Seu visual charmoso e interessante se ajusta perfeitamente ao seu espírito. Como manter o estilo vanguardista nesta nova etapa da vida?

Lilian – Uso meu livre arbítrio para usar o que gosto e me enfeito principalmente pra mim. Gosto de brincar com cores e formas. A fantasia possível. Não me esforço para manter nenhum estilo, sabe? O externo sempre espelha o interno e à medida que a vida adquire um significado, a personalidade externa também fica mais harmônica.
É claro que sendo humana às vezes me incomodo com mais uma “papadinha” que aparece, mas logo me distraio com meu trabalho ou com alguma atividade mais importante que o detalhe só físico, pois é só este que envelhece. Sei, com uma profunda certeza que não é o visual externo nem a aprovação externa que nos traz plenitude, mas nossa entrega ao processo de viver. Quando jovem era do tipo “bonitinha”, mas profundamente insatisfeita, procurando em lugares errados o estado de “bem estar”.

AV- Qual a sua maior fonte de alegria?

Lilian – Meu trabalho que ajuda a tantas pessoas e a mim também! A descoberta diária de que tenho o direito e a capacidade de criar minha vida a cada instante, minha relação comigo, a priorização de mim mesma que ao contrário do que fomos ensinados não é egoísmo, mas o único caminho para abrir o coração, eliminar o rancor e o ressentimento.
Minha fonte de alegria também é o divino recém encontrado dentro de mim e não o de fora como acreditava. A vida é muito rica, não tenho a intenção de romantizar aqui, a jornada se apresenta difícil às vezes e em cada crise há a oportunidade de aprender algo novo sobre nós mesmos e nossa atitude para com tudo a nossa volta.

AV- Você sente alguma diminuição no seu ritmo de trabalho?

Lilian – Meu ritmo de trabalho aumentou bastante no último ano, pedi isso, rezei para que isso viesse, adoro meu trabalho, me mantém viva e participante. O trabalho com o Pathwork é o de ajudar pessoas como na psicoterapia, mas olhando cada indivíduo como um ser espiritual também e não somente cérebro e emoções!

AV- Já que aos 60 anos queiramos ou não, nos tornamos idosas, o que você diria a uma da “turma” que insiste em se agarrar com unhas e dentes à juventude física?

Lilian – Esse movimento inútil é a falsa crença em que só sendo jovens teremos acesso ao que nos traz felicidade e realização. É como querer brincar no playground do vizinho. O que nos traz realização e bem estar, estar de bem consigo mesmo, é nosso interno, são nossos pensamentos, sentimentos, atitudes e convicções. Estes são nossos agentes criadores e não nosso rosto ou a barriga de tanquinho.
Não tomemos o oposto como verdadeiro. Não prego o abandono físico, o desleixo. Sou pela saúde em todos seus aspectos e não só uma aparência postiça. Ser jovem não é a receita para a felicidade. repito: É o estado interior, a atitude para com a vida, a certeza de quem somos, que nos leva a criar para nós mais plenitude, significado, interesses!

AV- Por mais cuidados que possamos ter, chega um tempo em que é impossível não existir a decadência física. Como é para você lidar com este natural processo?

Lilian – Como disse em outras respostas a receita é a aceitação do que você é, mas sem conformismos indulgentes. Se mantivermos nossa saúde, se nos mantivermos vivas e dispostas para enriquecer nossa existência com o possível para cada faixa etária, se tivermos uma vida onde cabe o prazer, a atuação de nossos potenciais, a auto estima elevada (para isso precisamos do esforço de aprender sobre a natureza da vida) a decadência não existirá.
Mesmo se fisicamente não formos comparáveis com o padrão da mídia de vender revistas, mas nos sentirmos bem conosco, jamais seremos decadentes.

AV- Ao que ou a quem deve obediência? Á opinião alheia sobre você ou o que seu coração pede?

Lilian – Sempre ao meu coração. É IMPOSSÍVEL agradar a todos e essa necessidade é falsa, está no lugar da falta de auto-aprovação.
E como se disséssemos: “me ame, me ache o máximo porque eu mesma me acho uma porcaria” Acha que essa equação funciona?
Procuro fazer o que meu coração manda. O coração desimpedido de ressentimentos contra alguém ou algo, a vida, por exemplo, não desejará nada que faça mal aos outros. Só será inclusivo e terá desejo de crescer, de ser uma pessoa melhor, de se desenvolver.

AV- Quais as sua fontes de lazer, se é que sobra tempo para alguma delas?

Lilian – Gosto de conversar com meu companheiro, gosto de tomar um copo de cerveja gelada, passear com minhas cachorras no fim do dia, conversar com velhas amigas, estar com minhas filhas e netos, ler, ir ao cinema, almoçar em restaurantes étnicos, rir de bobagens e situações inesperadas, meu maior prazer é mergulhar no oceano, me sinto tão grata de poder fazer isso aos 67 anos, olhar arvores grandes, folhear revistas de animais selvagens.
Algumas dessas coisas requerem mais tempo, mas outras posso fazer em uma hora livre, mesmo que disponha só dessa hora no dia.

AV- Quais as suas maiores descobertas na nova-madura Lilian Grace?

Lilian – Descobri que posso gostar de mim, me respeitar mesmo ainda sendo tão distraída, nunca sabendo onde estão meus óculos, tendo um pouco (agora só um pouco) de ciúme das minhas filhas, sendo reativa quando cobrada, enfim todos meus defeitos (estes, confessáveis) sabendo que além deles tenho grandes qualidades!

O auto-respeito vem da aceitação de minha humanidade imperfeita e da nova conexão com meu espírito, com a perfeição do divino em mim que me possibilita sentir amor, não necessariamente por alguém, mas amor só.

AV- Como é lidar com seus netos?

Lilian – Puro deleite, noção de respeito, desapego, aprendizado. Vejo claramente como agora estão nascendo espíritos mais desenvolvidos, é a nova era se expressando. As crianças são mais sábias do que nós fomos, muito mais independentes, “antenadas”, conhecedoras de seus direitos.

AV- Qual a importância dos amigos nesta terceira das sete idades fases da vida?

Lilian – Importantes, grandes professores, aprendo muito com meus amigos, cada um do seu jeito me doam muito, me sinto amada e amparada por eles.

AV- Tem algum projeto a caminho?

Lilian – Sim, obrigada por perguntar! Vou a Conferência Internacional de Pathwork que acontecerá em Agosto nos EUA apresentar um projeto sobre novas maneiras de ensinar a metodologia, quero levar esses ensinamentos às escolas, adaptados a compreensão infantil.

Foto: Divulgação

 

Comentários 11

  • Elizabeth Valente01/02/2014 em 22:39

    Oi Lilian como minha amiga de colegio, posso afirmar que vc sempre sempre foi especial e já irradiava uma luz propria que iluminava tudo e todos a sua volta. Talvez vc não percebesse isso naquela epoca. Quando fui aquele encontro do colégio o que me motivou foi reve-la e aí relembramos os tempos tão gostosos da adolescência. Saudade e vontade de encontra-la mais vezes e se possível juntarmos a Aninha Rubino minha querida amiga dos bancos de Faculdade. Bjos carinhosos.

  • Cléo Lemos26/12/2013 em 17:20

    Querida Lilian parabéns pela entrevista, é sempre muito bom ouvir seus depoimentos e ensinamentos,que alegria, como é bom termos dentro do Pathwork pessoas como você. beijos

  • Marcia Walquiria06/05/2012 em 12:37

    A Lilian não é uma pessoa que “passa” na vida da gente de forma despropositada; ela “fica” e deixa sua marca, mesmo sem qualquer pretensão. Ela nos ajuda a olhar para dentro e nos faz sentir responsaveis por todo o beneficio de suas lições! É uma pessoa linda que nos acolhe e nos faz sentir especiais. Saudades Lilian e que outras pessoas saibam aproveitar, como eu soube, da sua generosidade e tolerância. Parabéns pela entrevista! Bjs

  • Leila Mucciolo05/05/2012 em 18:56

    Querida Lillian, gostoso ver sua entrevista . Continue assim espalhando para o mundo sua beleza interna e externa. E parabéns por esse trabalho lindo que faz.
    Com muito carinho sua amiga
    Leila

  • walter fernandes04/05/2012 em 11:03

    Concordo com todos os comentárioa anteriores (menos o primeiro que não entendi…). Lilian é brilhante, na simplicidade com que transmite seus ensinamentos e nos mostra a essêencia da vida. Aqueles que foram alunos, “pacientes”, ou orientados, e que ainda são seus amigos, foram, e são, pessoas previlegiadas. Ela nos ensina a “viver” novamente…
    Beijos, minha grande amiga!

  • Suely Raya de Calderón04/05/2012 em 10:55

    Que entrevista bonita!! Sim, bonita e elegante como a entrevistada.
    Sou sua “eterna” aluna. Com ela aprendo muito nos trabalhos de Pathwork e nas conversas informais que mantemos como amigas que somos.
    Posso testemunhar sobre a grande bondade da Lilian, que aliada ao profundo preparo técnico para o seu trabalho, fazem dela uma pessoal especial e uma excelente profissional.
    Saudades, querida Lilian, saudades de quando eu podia estar mais próxima e amparar-me na sabedoria que você irradia ao seu entorno.
    Um grande abraço.

  • Vera Dória04/05/2012 em 00:38

    Lili, que honra para mim poder usufrir e compartilhar da sua amizade, contar com sua sabedoria, seu bom senso, seu entendimento da vida, seu bom humor e alegria de viver. Existem anjos na Terra e voce é um deles, semeando esse conhecimento tão profundo , verdadeiro e principalmente com tanto amor. Love you.

  • Ana Paula Teixeira do Rosario03/05/2012 em 23:30

    Que delícia ler a Lilian… Eu também faço parte das pessoas que são encantadas por ela..Atesto que é verdade tudo que ela diz somado a uma alegria e a uma das gargalhadas mais gostosas que conheço.

    Lilian, parabéns por todo o seu trabalho , dedicação e carinho com todos que passam pelo seu caminho . Daqui de Minas Geraes envio meu abraço com muita admiração.

  • Erika Cabral03/05/2012 em 22:48

    Eu, como aluna e amiga desta maravilhosa mulher que ilumina tudo que a cerca com sua sensatez,docura e interesse genuino pelo “outro “; possso testemunhar que o seu caminho e trajetoria sao um exemplo de vida e dedicacao.
    Parabens a todos pela entrevista tao interessante e motivadora !

  • Rosanna S. Giuzio03/05/2012 em 21:03

    Tenho certeza de que a Lilian é um exemplo de vida, no sentido mais amplo da palavra… Ela me ajudou a descobrir o quanto a gente desperdiça nosso tempo em função dos outros, quando poderíamos tê-lo usado a nosso favor, isto no meu caso. Vocês escolheram uma pessoa iluminada, de alto astral, que tem prazer em viver e ajudar ao próximo. Sou fã incondicional e eternamente grata a ela e aproveito para parabenizá-los pela maravilhosa entrevista…

  • Cecilia12/04/2012 em 11:50

    Mal comecei a ler e já me deu uma alegria enorme de ter amigas sensacionais com idéias brilhantes .Que divertido , que especial, como é gostoso a gente se sentir em casa .Todo mundo na mesma fase de vida , com a mesma vontade de curtir ,desfrutar , trocar e rir até doer as bochechas … Obrigada Maria Eugenia e Aninha , vocês são mesmo fora de série, graças a Deus .Beijão Cecilia

  • Adicionar comentário