Ilhas gregas

 

O “Dodecanese”é um grupo de ilhas no sudeste do mar Egeu.  O nome faz remissão a doze ilhas que na verdade são mais de 163, a maioria delas bem pequenina. A população de todas chega a pouco mais de 190 mil habitantes e a área total é de 2.579.275 km2.

Foto: Divulgação

É considerado o canto mais ensolarado da Grécia, onde as ilhas são circundadas por águas cristalinas, o céu é quase sempre azul e onde há praias de areia ou pedregosas, importantes sítios arqueológicos com monumentos imponentes bizantinos e medievais. Se o viajante está em busca de locais afastados e tranquilos, deve dirigir-se a Leros ou Pserimos. Se está atrás de algo mais cosmopolita que nem por isso deixa de esbanjar beleza, vá para Rhodes e Kos, as ilhas maiores e mais conhecidas. Tem para todos os gostos. 

De acordo com a mitologia, os moradores de Rhodes são descendentes de Hélios com a ninfa Rhodia. Deixando os deuses de lado, Rhodes foi provavelmente habitada primeiramente por gregos que fundaram as três cidades primitivas: Lindos, Kamiros e Layalissos. No primeiro milênio antes de Cristo, já havia por lá intenso comércio de cerâmicas e ouro com o Oriente Médio e Egito. 

A cidade de Rhodes cresceu rapidamente e ficou famosa pelo Colosso, uma estátua de bronze do deus Hélios, em seu porto, destruída por um tremor de terra em 227 AC. A produção artística da região era muito conhecida e de lá são as estátuas da Vitória da Samotrácia, a Afrodite de Rhodes e o Laocoonte, uma das mais importantes esculturas da antiguidade, que o representa e a seus dois filhos sendo estrangulados por duas serpentes marinhas (19 GRITOS) que pode ser vista no Museu do Vaticano.

Foto: Divulgação

Rhodes é um tesouro preservado ao longo dos séculos. A cidade velha é rodeada por muros medievais com sete portões. O Palácio do Grão Mestre e a famosa Rua dos Cavaleiros transporta o turista para os tempos das armaduras brilhantes e das princesas. Vale mergulhar no passado histórico da cidade, através de uma visita ao Museu Arqueológico. 

Mandráki, o antigo porto distingue-se pelos três moinhos e fortificações no final da doca.  Outras edificações são admiráveis: o Teatro Nacional, a Corte, a Prefeitura e o Palácio do Governo. Há também maravilhas naturais como o Vale das Borboletas, as Sete Fontes e o Parque Rodini, um vale verde com águas correntes, pequenas pontes e muitos pavões, a marca registrada do parque. A visita à Acropolis de Lindos e Lalissós é de tirar o fôlego, assim como à antiga Kámiros, poderosas cidades dos velhos tempos. Castelos muito bem preservados como os de  Kritinia e Monólithos também são um must!

Foto: Divulgação

Na primavera, um dos mais famosos festivais medievais de Música e Som ocorre nesta região e é imperdível! 

Kos tem águas turquesas e praias de areia, com vegetação exuberante, além de monumentos antigos medievais e estradas largas, ladeadas por árvores.Grandes praças, parques e um traçado espetacular caracterizam a terceira maior ilha do Dodecanese, perfeita para passeios de bicicleta que circula por vias exclusivas. Logo na entrada do porto, fica o Castelo de Nerantziá, que deve ser visitado. Ao redor das praças Platánou e Elefthería há prédios lendários, que datam da ocupação italiana. A cidade antiga de Kos tem achados arqueológicos relevantes, que datam do século 4º. Continuando o passeio, o turista tem o privilégio de sentar-se sob os ramos do plátano onde Hipócrates, o pai da medicina, costumava ensinar a seus alunos e examinar seus pacientes. A árvore deve ter mais de 2,500 anos e é de fato a mais antiga da Europa! Não deixe de conhecer a floresta de cedro onde está Ziá, tampouco perca Asclipiion, ou ainda  Antimáhia , castelo do século 15, com sua imponente torre.

Foto: Divulgação

Kalymnos é a ilha conhecida internacionalmente pelo cultivo da esponja do mar. Depois da Segunda Guerra Mundial, Kalymnos tornou-se a única ilha grega que abastece o mercado tanto doméstico quanto internacional de esponjas marinhas. O que primeiro se avista ao chegar a Kalymnos é a capital, Póthia e o porto, abrindo-se como um anfiteatro entre dois morros. O Museu Arqueológico e o Castelo de Chrissoheria fazem parte do roteiro turístico mas deve ser reservado um dia para que se veja Horió, a primeira capital da ilha, que ainda mantém seus monumentos bizantinos como o Grande Castelo. A antiga cidade cristã de Eliniká, uma das melhor preservadas da Grécia vale igualmente uma passada. Maio é uma boa época para estar na região para quem é fã de escalada já que acontece neste mês o Festival desta atividade esportiva. Kalymnos tem cerca de 1800 rotas de escalada em um raio de 10 km. Os entusiastas da culinária devem provar as deliciosas tangerinas, a cauda de lagosta curtida e a arraia preservada em água do mar assim como o queijo mizithra!

Foto: Divulgação

Pserimos é o destino certo para quem busca ferias serenas e relaxantes onde possa nadar em águas transparentes, tomar sol em praias de areia, admirando baías paradisíacas como a de Vathí ou mergulhando de barcos ou veleiros entre os vários recantos da ilha.  Vale também explorar diversas rotas de ecoturismo e participar de férias locais, a mais famosa das quais ocorre no dia 15 de agosto. É admirável a quantidade de opções de lazer, para todos os gostos em uma ilha tão pequena quanto  Pserimos.

Foto: Divulgação

Telendos por incrível que pareça, fazia parte de Kalymnos na antiguidade e dela foi separada por um grande terremoto em 554 AC.. Hoje há somente uma pequena cidade na ilha. Trilhar através da densa floresta de pinheiros ao sul da ilha, visitando as ruínas de diversas edificações bizantinas. Nada como perambular pelas praias ensolaradas de Plaka, Potha, and Paradise, mergulhando para explorar a antiga cidade afundada entre Kálymnos e Télendos. A pesca, o windsurf, a escalada de montanhas são outras atividades dentre as muitas disponíveis.

Foto: Divulgação

Chega-se à Telendos de barco, a partir de Mistiés, em Kálymnos.

Outros destinos aguardam os viajantes – ainda não concluímos o tour pelas ilhas mas… vamos deixar os leitores do Portal Amantes da Vida com água na boca, aguardando pelo restante das novidades gregas! Quem ler, vai se deleitar e por certo procurar os agentes de viagem pois a região vale cada minuto de visita!

 

Adicionar comentário