Fernanda Freire Cancegliero Treves

 

Ao começar a ler a entrevista de Fernanda Freire Cancegliero Treves, dei-me logo conta do quão importante é a educação pelo exemplo. Pai e mãe trabalhavam fora, tempo integral, as duas filhas estudavam o dia todo. O ponto de reunião era em torno da mesa, quando a família conversava, punha as novidades em dia. As refeições, principalmente aos domingos, enquanto eram preparadas pela mãe, na cozinha, “ajudada”pelas filhas, eram a pausa das correrias do dia a dia da semana. Dessa tradição germinou dentro do coração de uma das meninas, a semente de uma grande cozinheira. Fernanda formou-se advogada, especializou-se em direito tributário e atuou na área por doze anos.

Sempre muito alegre e sociável, sabia receber muito bem. Tinha um dom inato: criava arranjos de flores  que pareciam feitos por profissional do ramo. Quando vieram os filhos, começou a preparar com grande capricho a decoração e tudo o que era servido aos convidados nas festinhas. Ajudava nas comemorações promovidas pelas amigas até que, o que era um hobby passou a ocupar o plano principal.

Certa feita, o enteado de uma amiga planejava a comemoração dos  seus quarenta anos e Fernanda dispôs-se a ajudá-lo, na organização completo do evento. Na hora da escolha do Buffet, solicitou diversos orçamentos e incluiu também o preço daquele pelo qual ela própria poderia fazer o menu. O resultado é que o escolhido foi o dela e a festa foi um sucesso, ultra elogiada.

O início nunca é um mar de rosas principalmente quando o desafio é logo uma festa para duzentos convidados! Fernanda virou-se pelo avesso mas dali para a frente decidiu que era exatamente aquele o caminho que gostaria de trilhar. Ã época, estavam com ela duas outras amigas que, ao contrario, constataram que não pretendiam seguir no ramo – cada qual seguiu  seu destino.

Fernanda profissionalizou-se, cursando no SENAC o curso CCI (Cozinheiro Chefe Internacional), durante o qual fez estágio no respeitadíssimo Buffet de Viko Tangoda, uma experiência única em termos de crescimento e aprendizado.

Findo o curso, foi convidada pelo professor de culinária francesa Alain Ulzan para trabalhar no restaurante AVEK (R. Joaquim Antunes), onde era chef, sendo o sous-chef Cícero Freire.

Durante todo o período em que estudou no SENAC e trabalhou no restaurante, Fernanda continuou a fazer eventos, com garra e determinação. Indo além, jamais descuidou-se das obrigações de família, como mãe e esposa.

Hoje, essa guerreira tem duas empresas, a Physalis Eventos que, além de realizar eventos levando até o cliente todos os profissionais e a estrutura necessária, oferece opções para uma alimentação saudável e com tempero caseiro, com a Physalis da Conceição.

Os alimentos após seu preparo são rapidamente resfriados e embalados a vácuo, para após serem submetidos ao processo de congelamento, sem qualquer utilização de conservantes.

Além do cardápio para o dia a dia, com opções diferenciadas para os adultos e  crianças, a Physalis oferece ainda refeições para pessoas que estão em dieta, seja na linha low carb, sem glúten ou na opção de sopas detox.

Fernanda esclareceu aos leitores do portal Amante da Vida sobre o que vem a ser “Gastronomia Funcional”, como segue:

“A Gastronomia Funcional é a junção da nutrição funcional com a gastronomia. É a utilização dos alimentos funcionais (aqueles que fazem bem à saúde) não esquecendo do sabor ao prepará-los, sempre com foco na melhoria da qualidade de vida e longevidade.

O Chef da gastronomia funcional busca antes de tudo que a sua criação seja saudável, nutritiva e funcional e também que esta tenha sabor, textura e aromas maravilhosos. O foco está no bem-estar e saúde da pessoa e não na criação em si.”

Explicou também algumas diferenças entre alimentos orgânicos e aqueles oriundos de culturas convencionais:

As plantações de alimentos orgânicos contam com os recursos da própria natureza. Os alimentos orgânicos são plantados em solos férteis, onde não haja resíduo de agrotóxicos, fertilizantes químicos e respeita as diferentes épocas de safras e ciclos de cultivo.

Por sua vez, os alimentos convencionais (não orgânicos) não tem essa preocupação com o meio ambiente e na sua plantação são utilizados fitossanitários.

Fernanda adota estratégias para reduzir o teor de agrotóxicos nos alimentos dá sugestões aos nossos leitores, como profissional da área: Procurem sempre verificar a origem dos alimentos. Em relação às carnes, façam questão que sejam provenientes da criação de gado a pasto, suínos orgânicos e frangos sem hormônios.A forma mais eficaz para a compra de produtos orgânicos é procurar  pelo selo de certificação. No Brasil os principais órgãos certificadores são:

 

AAO – Associação dos Agricultores Orgânicos;

ABIO – Associação dos Agricultores Biológicos do Estado do Rio de Janeiro;

ANC – Associação de Agricultura Natural de Campinas e Região;

Coolmeia – Cooperativa Ecológica;

IBD – Instituto Biodinâmico;

MOA – Fundação Mokiti Okada.

 

Fernanda finaliza dando dicas de  normas básicas de higiene na manipulação e conservação de alimentos:

 

Sempre lavar as mãos antes de começar a mexer nos alimentos. Evitar a contaminação cruzada no manuseio dos alimentos. Lavar sempre as hortaliças antes de sua utilização, entre outras. Entendo que sempre é muito bem vindo a leitura fácil e explicativa da seguinte cartilha: http://www.anvisa.gov.br/divulga/public/alimentos/cartilha_gicra_final.pdf

 

 

O portal agradece o privilégio da entrevista e parabeniza Fernanda por seu empreendedorismo e coragem!

 

www.physaliseventos.com.br

www.physalisdaconceicao.com.br

 

 

1 comentários