Ferragamo Louvre

 

                                                                             Salvatore Ferragamo

Foto: Divulgação

Vocação, aliada à necessidade e ao sonho, deram o ponta-pé inicial no jogo da vida do consagrado Salvatore Ferragamo. Para o menino pobre de Bonito, pequena aldeia vizinha de Nápoles, pregos, solas e colas encontradas no seu refúgio – o sapateiro local, o fascinavam, para tristeza de seu pai, que queria para o filho o seguro trabalho no correio.

Inconformado com a possibilidade das mulheres da família aparecerem, na primeira comunhão da irmã descalças, o pequeno Salvatore surpreendeu a todos com os sapatos artesanalmente feitos por ele.

Graças ao seu excepcional tino comercial, o garoto obteve permissão de uma vizinha nobre, para tentar fazer-lhe um sapato a ser usado confortavelmente, apesar das complicações que ela tinha nos pés.

Conseguido o feito, sua fama espalhou-se pela redondeza e aos 14 anos já tinha  a sua oficina, com seis artesãos mais velhos sob seu comando. Conhecedor do talento e inconformado com a falta de ambição, seu irmão, que a estas alturas já morava nos EUA, convidou o jovem Salvatore para ir conhecer a produção em alta escala que rolava no novo mundo.

Foto: Divulgaçao
Foto: Divulgação

Para quem gostava de estudar a anatomia de cada pé para fazer o melhor, ver centenas de sapatos iguais sendo produzidos sem qualquer preocupação era um pesadelo. A ausência do cuidado com o equilíbrio e o conforto que só a técnica artesanal consegue, para ele, não justificava o lucro meramente pela quantidade.

Mas como nada é à toa na vida, o irmão que trabalhava em um estúdio cinematográfico conseguiu fosse confiada a Salvatore, a confecção das botas e sapatos usados nos filmes épicos em gravação.

Claro que em dois tempos o Ferragano já recebia encomendas de Cecil B.D Mille, Rodolpho Valentino, Clara Bow. Em 1950 Greta Garbo resolveu fazer uma limpa na sua sapateira e encomendou 70 pares de uma só vez.

Foto: Divulgação

Mas em 1927, diante da dificuldade de encontrar mão-de-obra para atender seus clientes de HollywoodFerragamo volta para a Itália, onde acaba desenvolvendo um sistema inédito de produção, mantém seus clientes famosos, conquistam novos e faz sua marca se tornar sinônimo de um sapato bem feito.

Foto: Divulgação

A crise de 1929 o obriga a encerrar seus negócios, mas em 1936 abre sua primeira loja em Firenze no Palazzo Feroni Spini, aliás, onde existe hoje o Museu Salvatore Ferragamo.

Nesta época, resgata da antiga Grécia o salto plataforma e patenteia a cortiça que em camadas, eram forradas de tecido e bordadas com pedras. A novidade acabou sendo adotada de Hollywood a Paris. Trouxe para o século XX também as sandálias com tiras amarradas no tornozelo, usadas pelos antigos romanos.

A escassez do couro durante a guerra desafia a criatividade do artesão e resina de plástico, ráfia, celofanes e até fibra da maconha são elementos para a continuidade da sua produção de seus sapatos.

Sua loja em Firenze passa a ser o point dos artistas e do Jet – set internacional. Marilyn Monroe, Judy Garland Greta Garbo, Cary Grant, todos queriam sapatos Ferragamo, pois sabiam que alem de desfilarem arte  nos pés, sempre seriam benevolentes com seus pés.

Conquistado o prestígio merecido, passou a sonhar em vestir a mulher dos pés à cabeça, o que o levou a criação da sociedade anônima, hoje mundialmente conhecida.

Ampliando seu universo, passou a desenvolver bolsas, foulards, bijuterias, gravatas. Introduzindo em todo o mundo seu estilo Clássico – intemporal.

Em 1960 falece, e seus herdeiros, geneticamente  contemplados com seu extraordinário tino comercial, sob a batuta da habilidosa mãe Wanda, continuaram expandindo o fruto do seu sonho.

No próximo dia 12 de junho, o pequeno menino de Bonito, que apreciava o singelo sapateiro local, representado por seus também brilhantes filhos, terá a honra de apresentar a Ferragamo Cruise Collection 2012/2013, simplesmente  no LOUVRE.

Foto: Divulgação

Tamanha honraria vem em retribuição ao significativo papel de Mecenas que exerceram na grandiosa exposição “La Sainte Anne, l´ultime chef-d louvre de Leonard de Vinci.”

O desfile evento além da apresentação da coleção terá um jantar privée, como privée também será a exposição neste dia.

Considerado como excepcional mesmo antes de acontecer, o desfile já nasce com o status de “obra de arte”.

En passant Gisele Bündchen é a garota propaganda da nova campanha de verão da Salvatore Ferragano.

Foto: Divulgação

 

 

Comentários 15

  • amanda delboni17/06/2012 em 14:36

    Ana querida,
    VC tem uma versatilidade, própria de quem tem rica vida cultural.
    Parabéns pela excelente matéria.
    Beijos
    Amanda

  • Virginia Adriano15/06/2012 em 20:23

    Aninha,
    Parabéns mais uma vez!!!!!!
    A cada artigo seu, mais me apaixono por esta mulher amante da vida….
    bjs

  • JFBoucinhas13/06/2012 em 13:12

    Excelente texto.

  • Delza13/06/2012 em 12:57

    Ana velha amiga que, embora bem nascida, como Ferragamo foi sempre uma vanguardista que causava inveja a uma “timidóide” como eu… Se ainda não fui ostensiva, quero aqui deixar meu estrondoso aplauso não só pelo faro e elegante apresentação deste tema, como especialmente pelas conquistas que em ritmo vertiginoso vem acumulando em sua nova carreira em “Amantes da Vida”.

  • Marta Hirszberg13/06/2012 em 10:42

    Voce se supera a cada dia Aninha, esta reportagem esta belissima, bela carreira , merece estar no Louvre, um Templo das Artes, sem duvida alguma.
    Parabens again and again…
    Marta

  • dalva martins13/06/2012 em 00:10

    Ana querida,
    Como sempre, alem de você escrever de uma forma muito gostosa, sempre tem assuntos ótimos, interessantes. Não conhecia nada da vida do Ferragamo. Alem da persistência e acreditar no que fazia, o bom gosto conta muito,sem falar da qualidade.
    Continue nos deliciando com histórias como esta.
    Cumprimentos pelos artigos que você escreve.
    bjs, saudades

    Dalva

  • Erika Cabral12/06/2012 em 22:33

    Que estoria incrivel e escrita com tanta maestria ! Parabens novamente Aninha.
    beijos
    Erika

  • Maria Eugenia Cerqueira12/06/2012 em 19:03

    Adorei!! Parabéns!!

  • Ana Sinhorini12/06/2012 em 18:14

    Ana, minha querida!
    Que saudades dos momentos que pudemos nos deliciar com sua companhia. Obrigada hoje pela biografia de Ferragano!
    Mesmo sendo sua fã, dos sapatos aos perfumes… desconhecia fatos de sua história contados de u’a maneira que só vc sabe fazer.
    carinho, Ana

  • Marilena12/06/2012 em 16:34

    Ana,

    Adorei conhecer a “biografia” do Ferragamo, uma bela vida, contada com seu jeito tão especial.
    Obrigada pelos seus muitos textos deliciosos!
    Bjs
    Marilena

  • Bety Valente12/06/2012 em 16:18

    Aninha, adorei a maneira que contou essa linda história de superação e grande visão. Parabéns

  • Ana Serra12/06/2012 em 15:12

    que história incrível, Ana, adorei! E muito bem contada por você, belo texto. Parabéns querida! E vou compartilhar…

  • Av12/06/2012 em 15:11

    A biografia do Salvatore é maravilhosa.Vale a pena tentar achar o livro para ler. Sorte dos que tiveram sapatos feitos artesanalmente por ele !!!!!!

  • M.E.12/06/2012 em 15:00

    Simplesmente sensacional……… continúa sendo um sucesso mesmo depois de tantos anos que nos deixou. Parabéns pela linda reportagem .

  • M. Amélia12/06/2012 em 14:39

    Adorei!!! Parabéns!!! Que orgulho tao grande em voce!

  • Adicionar comentário