Eno-Gastronomia na Itália

 

VIAGENS ENO-GASTRONÔMICAS NA ITÁLIA

Foto: Divulgação

 

O curso Parlando Italiano, …cantando, mangiando, viaggiando, … organiza viagem na Itália com tema eno-gastronomia. A proposta é fazer duas viagens por ano, em primavera e outono, que são os melhores períodos para viagens na Itália, principalmente no tema eno-gastronomia.

O diferencial está primeiro no acompanhador: Antonello Monardo, italiano que mora a mais de 16 anos em Brasilia, que além das atividades já bem conhecidas com o café (torrador e cursos de barista) é delegado para o Distrito Federal da Câmara Ítalo-brasileira de Comercio e Indústria, junto com a esposa Gabriela criaram o curso “Parlando Italiano, …cantando, mangiando, viaggiando, …”.

Todos sabem que a Itália é riquíssima e diferente em cada região, província e município, na historia, costumes, gastronomia, etc. A ideia é ir a descoberta de costumes e sabores típico do lugar que será visitado, fora da rota do grande turismo de massa.

Em outubro de 2010 (outono na Itália) um grupo foi na região da Emilia Romagna e puderam conhecer e saborear os costumes e comidas típica daquela região: como na Sagra da Enguia, Sagra do Tartufo, Sagra da Uva, visitar fabricas de queijos Parmiggiano Reggiano, produtores de Aceto Balsâmico Tradicional di Modena, vinícolas, frantoio (produtor de azeite), visitas mercados, etc.

Neste mesmo ano em maio, mais um grupo (primavera na Itália), conheceram a Calabria (terra do Antonello Monardo) e a Sicília.

Nas montanhas do Aspromonte puderam saborear o Stoccafisso (Bacalhau seco), na área grecanica a carne de cabra, na mítica Scilla, em frente o estreito de Messina o peixe espada, na Costa dos Deuses; Pizzo e Tropea o atum e os famosos Cebola Roxa de Tropea e a Nduja (embutido muito apimentado). Na Sicília, algumas aulas de cozinha com chefs de renome para aprender os segredos da milenária gastronomia da ilha e conhecer as paisagens e a historia de cidades como: Taormina, Catania, Siracusa a arquitetura barroca de Noto e a experiência fascinante de levar para casa uma pedra de lava do vulcão Etna, maior da Europa.

Em outubro de 2011 foi a vez da Toscana e Úmbria, regiões da Itália central, onde a arquitetura ficou como aos tempo da idade média. Saboreando vinhos famosos no mundo na mesma cidade de produção, como o Brunello de Montalcino, Vernaccia di San Gimignano, Vino Nobile di Montepulciano, Sagrantino da Umbria.

Foto: Divulgação

Jantando com os pescadores do promontório do Argentário no mar Tirreno, nas chiques: Porto Santo Stefano, Porto Ercole e Orbetello e a comida do Lago Trasimeno na Umbria. Ouvindo do Dario Cecchini, o mais famoso açougueiro do mundo, as historia da sua família com oito gerações de açougueiros e degustando o menú da “Vaca Inteira”. Se inebriando pelo cheiro do chocolate na cidade de Perugia em ocasião da “Eurochocolate” (maior Feira do Mundo de chocolate), visitando a casa “Bramasole” de Cortona do filme “Sob o Sol da Toscana” e conversado com a escritora Frances Mayes, sobre os projetos futuros e conhecendo a arquitetura e arte das cidades de Siena e Florença.

No final de maio e início de junho deste ano, a viagem foi nas regiões da Campania e Lazio, com base na cidade de Sorrento do famoso Tenor Caruso, para visitar a chique ilha de Capri, as lindas cidades da Costiera Amalfitana, aprender os secretos das confeitarias, cafés e pizza napolitana em Nápoles, almoçar na cantina da melhora produtora do vinho Greco Di Tufo, visitar em Pompeia, os restos da erupção do Vulcão Vesúvio e na cidade de Roma, para visitar os redores, como I Castelli Romani, deliciando-se nas cantinas de Frascati e aprendendo os segredos da Porchetta Romana de Ariccia, visitar nesta mesma cidade o Palazzo Chigi, cenário do film Il Gattopardo de Luchino Visconti.

 

Fonte: parlandoitaliano.com.br

 

Adicionar comentário