Elizabeth Theodoro

 

No dia das musas, 14 de junho de 1963, nascia na capital de São Paulo, a geminiana Elizabeth Theodoro, partilhando seu signo com personalidades do peso de Bob Dylan, Donald Trump, Nicole Kidman, Brooke Shields, entre outros. Todos partilham do dom da comunicação, rapidez de raciocínio e necessidade de renovação de informações, cada qual na área de atuação respectiva.  Cepa de excelentes jornalistas, atores, escritores, nossa entrevistada formou-se em Direito.

Encontramo-nos na sala de espera da TV Gazeta, no mundo cheio de inovações da televisão. Logo me chamou a atenção: jovem, bonita, cabelos dourados, um jeito de criança, mas ao mesmo tempo, mostrando absoluta segurança em si própria. Bem ao gênero dos nascidos em junho, sob a égide de Mercúrio… A conversa fluiu: vem de uma casa com quatro mulheres. Tem três irmãs, Maria de Fátima, Sandra e Elizete cujos conflitos, altos e baixos, aproximações e distanciamentos fazem parte da natureza humana e da racionalidade excessiva dos adultos. Cá entre nós, tantos egos femininos juntos, tinham mesmo que provocar faíscas!

No fim, o amor fraternal fala mais alto e as arestas se ajeitam com o passar dos anos – basta ter o bom senso de aguardar que todos atinjam a maturidade espiritual.

Além de advogada, Elizabeth formou-se em prótese dentária, mas seu grande sonho sempre foi o de ter o próprio programa de culinária, paixão de sua vida, razão pela qual estava naquele dia na Gazeta. Essa expectativa foi alvo de sérios preconceitos, inclusive entre seus familiares, mas ninguém segura nem prende um geminiano!

As grandes transformações fazem parte da natureza dessa mulher exuberante, que supera os revezes, sem se deixar abater.

Elizabeth parece não ficar parada nem um minuto da vida. Apesar de, em suas próprias palavras, já ter tido ‘vida de madame’, com duas empregadas e todas as mordomias que o dinheiro podia proporcionar a liberdade readquirida após a separação exigiu que fosse à luta, tornando-se uma autodidata de forno e do fogão!

O talento nato falou mais alto – “Deus deu-me o queijo e faca, que tratei de cortar”, aparteia.

Esta trajetória, que já dura mais de sete anos e que acalenta desde criança, corrobora a volatilidade e a percepção peculiar do mundo que os geminianos têm, lidando intuitivamente com o mundo, como se pairassem acima das coisas, tendo uma visão mais ampla, além do racional.

A vida ensinou-lhe, talvez não de modo fácil, a segurar as ideias de modo a torná-las financeiramente viáveis. É assim que se vai para adiante, pois não existe caminho fácil para o sucesso. Elizabeth, graças a seu dinamismo, não sente o passar do tempo – apesar de ainda ser muito moça, cronologicamente, julga seus pensamentos e ideias mais ‘jovens que sua idade’. Isso é um sinal de paixão por seu trabalho e por tudo que faz – autoestima em alta!

Alega que chegou a um estágio na vida em que consegue colocar o trabalho à frente do amor – será? O futuro dirá, pois continua acreditando em paixão e seja esta pelo que for aliada à capacidade de adaptação de sua personalidade, sempre se atira de cabeça em seus propósitos.

Cores vibrantes falam à alma dessa criatura cheia de energia, que se vê refletida nos vermelhos, amarelos e azuis. Paradoxalmente, menciona a cor de rosa. Curte Rock and Roll e o silêncio… ah, esse pessoal de Gêmeos…

Organiza seu tempo de modo a dar atenção ao marido, ao casal de filhos, à organização da casa que não é pequena e a seus bichos. Esta moça loura, inacreditavelmente, já tem uma netinha de dois anos, filha de Thiago, o primogênito, de trinta anos. O tempo não pesa em seu semblante – Kamila, de 28 anos, mora com a mãe.

Pedi-lhe um conselho: “Determinação e garra!” atalhou.

Realmente é o que não falta à nossa entrevistada. Vem bem a calhar, com o espírito dos Amantes da Vida, que acreditam no esforço pessoal e coragem como elementos indispensáveis para a realização pessoal e felicidade. Elizabeth seja bem-vinda ao mundo do sucesso!

 

Adicionar comentário