Doping na Comrades


Autoridades sul-africanas identificam estimulante em teste de Ludwick Mamabolo, vencedor da edição de 2012

Foto: Divulgação

No início de junho, o ultra maratonista Ludwick Mamabolo foi aclamado como o primeiro sul-africano a vencer a Maratona Comrades após sete anos. “Mamabolo atravessou os 89 km que separam Pietermaritzburg e Durban em apenas 5h31’03”, e chegou à frente de outro atleta local, Bongmusa Mthembu (5h32’40”). Foi a primeira vez em 15 anos que a prova teve dois sul-africanos no pódio. 

A euforia, porém, pode não durar muito. Nesta semana, o Instituto Sul-Africano para o Esporte sem Drogas (Saids) detectou uma substância ilegal nos testes realizados pelo vencedor. Segundo o representante da entidade, Khalid Galant, o teste foi positivo para dimetilamilamina, estimulante capaz de ampliar a atenção, dar sensação de energia e mascarar a fadiga em provas de longa distância.

Após a suspeita, a amostra foi encaminhada para um laboratório alemão para confirmação da origem da substância, num processo que pode levar até quatro semanas. O atleta ainda pode exigir a análise de outra parcela da amostra. Caso as acusações se confirmem, Mamabolo pode ficar afastado por até dois anos do esporte e perder o título da Comrades, que será então transferido para Mthembu.

Foto: Divulgação

 

Texto Juliana Varella

 

Adicionar comentário