Dia dos Pais

Felizes os filhos dos pais do novo século!!!!!

Há mais de 4 mil anos atrás, na Babilônia, o jovem Elmesu teria moldado em argila o primeiro cartão desejando saúde e vida longa a seu pai. O delicado gesto entretanto não foi institucionalizado. 

Séculos depois, exatamente em 1909, Sonora Luise, uma jovem americana, órfã de mãe, resolveu homenagear seu pai que com carinho criou seus seis filhos sozinho. A menina escolheu o dia do aniversário do pai, 19 de agosto, como a data comemorativa.

A ideia que surgiu na pequena cidade de Spoken foi tomando vulto e em pouco tempo Washington já instituía o terceiro domingo de agosto como festa nacional dos pais. Claro que a importância de se homenagear os pais foi se espalhando pelos EUA e, em 1972 o presidente Richard Nixon oficializou o “Father ‘Day”.

Foto: Divulgação

Poucos sabem que no Brasil a data foi criada por Roberto Marinho em 1953 mas por motivos menos sentimentais. Não dá para avaliar como seria a relação do filho Elmesu com seu pai lá na antiguidade. Mas o vínculo afetivo e sobretudo comportamental da década de 70, com certeza sabemos ser bem diferente do existente no quadro familiar do século XXI. 

Nós, mães da geração baby-boomers assistimos nossos maridos repetirem quase que radicalmente o papel dos pais que tivemos. 

Contam-se nos dedos, os que despojavam-se do machismo inerente e permitiam-se participar ativamente do desenvolvimento dos filhos. 

Poucas décadas se passaram e vemos agora nossos filhos tornarem-se os pais que gostaríamos de ter dado a eles. Pra início de conversa, a gravidez já é atravessada passo a passo de mãos dadas pelo casal. Poucos são os pais que deixam de estar dividindo o milagre do nascimento com a mãe hoje em dia. 

O pai do século XXI, não avisa à mãe que está na hora de trocar a fralda do seu bebe. Com carinho, ele mesmo providencia numa boa, a higiene do seu filho. O novo pai, não se sente ferido na sua masculinidade se tiver que ficar embalando seu neném, dar a “papinha” ou um gostoso banho no filhote.

Este contato físico presente desde o início, com certeza cria uma relação de afeto muito forte entre pai e filho. Aliás, pelo histórico da jovem americana, seu pai mereceu um dia especial, exatamente por ter representado também o papel de mãe na criação da menina e seus irmãos. 

Aos jovens pais, não apenas repetimos o chavão “Feliz dia dos Pais”, mas cumprimentamos euforicamente o fato de terem se tornado efetivamente merecedores deste especial Father Day. 

 

Comentário 1

  • Elizabeth Valente10/08/2013 em 02:33

    Vc rem razão, era uma outra época onde a forma de demonstrar carinho era ser provedor da casa, severo com os filhos e passar os valores de caráter. Não era pouco, pelo contrario mas não se permetiam esse contato fisico de carinho com beijos e abraços. Seria um sinal de fraqueza. O meu foi assim mas com o passar do tempo foi ficando doce e carinhoso inclusive com os filhos. Mas era uma pessoa que podia contar sempre, em todos os momentos da minha vida.
    Hoje essa moçada se permite aproveitar mais a convivência com os filhos desde o nascimento.
    Mas tenho mto orgulho do pai que tive e sinto muito a sua falta

  • Adicionar comentário