Como viver muito e bem

Não basta viver muito. O importante é viver muito e bem! 

 

Viver Bem
Viver Bem é o segredo para Viver Muito

 

Se há um precursor na alteração comportamental do novo velho, seu nome é Shigeaki Hinohora.

Este médico japonês, que nasceu em 1911, cantou a bola da Fonte da Juventude lá atrás, quando fundou o Novo Movimento dos Idosos. “Não sendo eterna, que a vida seja infinita enquanto durem os batimentos do coração” é a sua máxima.
Com todo o respeito, o cara tem o maior moral para ditar regras, pois exerceu a medicina até os 100 anos e viveu 105 anos, quando então seu coração resolveu dar um basta às pulsações.

Na sua trajetória profissional, enquanto aplicava as técnicas medicinais aprendidas, levava o maior papo com cada um dos seus pacientes, bisbilhotando sobre a rotina, sobre a qualidade de vida e sobretudo sobre as emoções que eles sentiam.
Intuitivamente, já sabia que a alegria de viver era determinante para a boa saúde física e mental, mas precisava de estatísticas confirmatórias. Suas experiências, aliadas ao seu próprio estilo de vida, o levaram a concluir que tinha descoberto a fórmula da juventude da alma no corpo de um idoso sadio !!!!!!
Com plena convicção, desandou com o maior entusiasmo, a dar palestras, a escrever teses e livros sobre os princípios que levam o homem a ter uma feliz e saudável vida longa.
A divulgação de seus ensinamentos tomaram tal vulto, que seu famoso “Living Long Living Good” – onde constam os princípios básicos indispensáveis ao bem viver – vendeu simplesmente 1.2 milhões de exemplares.
A ciência tem dado as mãos às dicas do sábio médico ao comprovar que as emoções são as grandes responsáveis pelo funcionamento do físico.
Diante de um determinado fato desagradável, a pessoa pode optar por espumar de raiva ou por observar o fato como um desafio a ser encarado ou como uma nova lição a ser aprendida.
Dependendo da emoção sentida, o fígado reage diferentemente. Na primeira reação, começa a dar nós imperceptíveis, mas já tratando de alertar os colegas órgãos, que preparem-se pois vão arcar com as consequencias.
Já na observação isenta de raiva, o fígado nem se toca: a missão é problema dos neurônios e não dele. E os órgãos seguem com suas funções normais.
As máximas de Shigeaki deveriam ser seguidas desde sempre, pois os futuros novos velhos já chegariam lá com a máquina interna só com as naturais oxidações inerentes ao tempo.

Basicamente, o importante é levar a vida com responsabilidade, mas divertir-se muito, tratando de resgatar ao máximo o entusiasmo juvenil e deixar de impor-se muitas regras.

Ah… e quando for chegando aos 60 anos, ir pensando no que fazer depois dos 65 anos, quando, para ele, é essencial abraçar uma outra atividade prazerosa, esteja ou não aposentado.
Aí também Shigeaki fala por experiência própria, pois naquela idade passou a incluir na sua lotada agenda, uma nova atividade como voluntário.
Que esta “pincelada” leve os curiosos a lerem os livros do Dr.Shigeaki Honodora.Um leque de dicas para aproveitar ao máximo a incrível experiência chamada VIDA !!!!

Ana Boucinhas 

Comentário 1

  • Helena Santos25/07/2018 em 19:36

    Amei esse texto!

  • Adicionar comentário