Cidinha Fonseca

 

Saturno, o senhor do tempo e da razão, dominava os céus quando nasceu, no dia treze de janeiro de 1956, em São Paulo, Cidinha Fonseca, no seio de uma família simples, unida e numerosa: eram seis irmãos. Começou a trabalhar muito cedo, aos treze anos. Tinha que lutar pela sobrevivência. O primeiro emprego foi na feira, vendendo tomate – trabalho duro que começava antes do sol raiar.

Até trabalhar com carteira assinada, fez um pouco de tudo: lavou bar, foi ajudante de costureira, vendeu roupa, época da qual se orgulha, pois aprendeu bastante, com pessoas muito especiais.

Aos dezoito anos, determinada a vencer todos os obstáculos, entrou no Unibanco, registrada formalmente. Seus salários iam para as mãos da mãe, para ajudar a pagar contas e também manter seus estudos: tinha tal fome de saber que fez duas faculdades e igual numero de mestrados: Faculdades de Matemática e Finanças e Pedagogia e Mestrados em Administração de RH e Gestão Empresarial na Fundação Getulio Vargas, além de cursos dentro e fora do país.

Foto: Divulgação

As conquistas sólidas e duradouras levaram-na para o Banco Noroeste (hoje Santander), Johnson & Johnson, Grupo Othon Bezerra de Mello (usina de açúcar e álcool) e finalmente Grupo Pão de Açúcar onde alcançou o posto de Diretora Executiva de RH por 24 anos.

Com disciplina e persistência, atingiu o ápice de suas realizações, sendo condecorada pelo Governador Mario Covas pela criação do Projeto “Meu Primeiro Emprego”, que a pedido dele, inspirou e orientou o atual Projeto de Lei “Menor Aprendiz”. Geraldo Alckmin, enquanto Prefeito de São Paulo premiou Cidinha por trabalho visando a empregabilidade de menores infratores da FEBEM. A revista Forbes reconheceu-a como uma das “Mulheres Mais Influentes do Brasil”.

Autora de vários livros e textos publicados, palestrante, consultora em varias empresas, três meses após a aposentadoria montou a empresa Consultoria Empresarial e Gestão de Pessoas. É sócia proprietária da 2Grow, voltada para gestão empresarial e de pessoas, Cidinha faz coaching de executivos. Apesar da origem pobre, venceu os obstáculos e ajudou todos os irmãos a comprar casa própria, a estudar e cuidar da saúde. Foi casada duas vezes e teve dois filhos. Viúva ano passado do “grande amor de sua vida”, refere-se ao Márcio, seu finado marido, como a “saudade que gosto de ter”…

Seus filhos são seus grandes amigos e muitas vezes se sentiu culpada por trabalhar em demasia, mas diante das palavras de gratidão e admiração que recebe, pensa ter feito à escolha certa. Acredita na educação pelo exemplo e conduziu sua vida pessoal e profissional de forma ética. Hoje se orgulha de conseguir equilibrar o tempo cuidando de si, da saúde, dos filhos, dos amigos e ainda do lazer.

Continua cheia de planos para o futuro: tornar sua empresa uma referência no mercado, o que com sua garra por certo conseguirá, escrever mais livros, fazer trabalhos voluntários, continuar participando da construção do futuro dos filhos, ufa! Haja fôlego!

Perguntada sobre o que faria de diferente, se pudesse voltar atrás, disse que não se arrepende das escolhas feitas, pois sempre tentou fazer, em cada momento de vida, o melhor que podia, à época. Acha bobagem se torturar com o passado. Tenta se ocupar do presente para não ter motivos para lamentar no futuro. “Gostaria de ser mais “Cidinhas”… uma só vida é pouco para tudo o que gostaria de realizar. Queria ter sido bailarina, arquiteta, médica…”.

Sente o passar do tempo, tanto física quanto mentalmente, mas muito combativa, cuida-se com respeito e tolerância. Pratica diversas atividades esportivas e mantém o desafio intelectual em bom nível com o trabalho. Um desses dias deu para correr de costas!Um jeito inovador de desafiar a mente e o corpo!

Tem um novo projeto chamado: “Leve sua cabeça para passear” que consiste em reuniões mensais com os amigos em que há um tema escolhido por noite, enquanto degustam bons vinhos, sendo proibido falar em trabalho e que já faz grande sucesso no grupo.

Viaja com os filhos ao menos uma vez por ano. Em 2012 foram à Itália, percorrendo as regiões da Toscana, Veneza e outras próximas. Cores prediletas? Esta na fase do branco e azul petróleo. Um lema na vida: “Você não tem controle sobre os fatos na sua vida, mas tem a honra de poder escolher como reagir a eles”. Perdeu filho, mãe, pai, marido amado, aposentou-se – poderia estar deprimida, lamentando as perdas – sofreu com todas e tem respeito por elas, mas entre ficar refém da própria história ou reagir e reinventar o futuro – preferiu seguir nesta linha de pensamento.

Esta é a atitude que lhe da sustentação e que sugere aos Amantes da Vida – sabe que não é fácil, mas acha mais saudável e divertida a reação – saber REINVENTAR-SE.

Apesar de voltada para o aspecto pratico e realizador da vida, de ter desenvolvido e continuar batalhando por metas, Cidinha Fonseca conseguiu lidar com as emoções e a sensibilidade, sendo um privilégio entrevistá-la em nosso Portal.

 

Comentários 8

  • luiz sergio zanella22/07/2013 em 15:03

    oie,sao quase 40 anos que te vi adolescente,mas ja existia algo magico em voce…de inteligencia…discernimento…postura diante da vida…amizade…zelo carinho com meus amados Aluizio papai Odete mamae rosario na epoca my girlfriend, beto, joazinho, gigio e cybel. Epoca linda hein? Mesmo de longe como nem se eu quisesse poderia deixar de saber pois querendo ou nao sempre mencionada como very important people do grupo pao de acucar,e u no orgulho maximo dizia vi e convivi com esta, joinha,conheci tbm teu finado marido vcs dois são maravilhosos. Acho que escreveram pouco de vc, embora com extrema veracidade e muito afinco para um resumo lindo do tantao que vc ja fez Parabens…deste simplorio amigo antigo Zanella muitas saudades…

  • Cybel Maria Fonseca17/12/2012 em 18:20

    Tenho orgulho em afirmar que esta mulher que sabe reinventar a vida é uma irmã maravilhosa, presente nos momentos alegres e difíceis da vida da família. Acompanhei sua trajetória e sei que evoluiu na capacidade de superar obtáculos e vencer desafios. Exemplo de mulher que sabe ser mãe, irmã, profissional e, acima de tudo, um ser humano que sempre procura ajudar os outros crescerem.

  • Carlos Alberto13/12/2012 em 15:28

    Sou amigo de sua irmã.sei que todas as informações mencionadas nessa relato são veridicas.
    Para a Cybel, toda familia e amigos essa moça é um exemplo vivo de como se viver bem sendo a mesma menina que teve uma infancia dificil e superou as dificuldades se tornando um exemplo de vida e diginidade

  • Fernando Augusto13/12/2012 em 15:17

    Parabens a Cidinha Fonseca, também tive uma Cidinha na minha vida e realmente são pessoas especiais, que sabem respeitar o proximo e se respeitarem e assim nada mais natural do que conquistarem tudo a que se propoem, facil não é e tambem não querem, ao contrario nos mostram que se você tem um objetivo e garra a realização vem mas o o que realmente importa é o aprendizado. Boa sorte no seu novo grupo.

  • Yumi Nakayama25/11/2012 em 20:03

    Essa estória prova que podemos SIM criar nossas próprias oportunidades e alcançar sucesso através de muito trabalho e determinação, sem deixar de lado a dedicação com a família & amigos
    Verdadeiro exemplo de amor à vida e ao próximo!
    Sem dúvida, uma estória para inspirar aqueles que por algum motivo “tornaram-se reféns da própria vida e precisam reiventar o futuro”.
    Sou super fã!!

  • Milena22/11/2012 em 19:49

    Sou suspeita pra falar, mas quero esclarecer aqui que as minhas lembranças de infância são todas de uma mãe amorosa, presente, carinhosa e muito mais do isso: de um orgulho enorme de uma mãe batalhadora, que se entrega e me deu o melhor exemplo que eu eu poderia sonhar em ter!
    Hoje ela é minha parceira em todas as áreas da minha vida e me transmite com sinceridade seu desejo que eu e meu irmão sejamos aquilo que realmente somos! Não tem parceria melhor do que essa: a que te da apoio e liberdade pra descobrir quem vc é!
    Essa mulher incrível, minha mãe, é a tradução de felicidade pra mim. Mesmo que a gente não acredite muito no conceito dessa palavra…
    Parabéns pela entrevista! Morro de orgulho! Sou a fã número 1!

  • Maria Eugenia Coelho da Gama Cerqueira22/11/2012 em 12:37

    Vamos nos candidatar ao “Leve sua cabeça para passear”…Fiquei ultra curiosa!!

  • Ana Boucinhas21/11/2012 em 09:03

    Fiquei emocionada com a historia de vida de nossa entrevistada.Tremendo exemplo de garra,determinação,entusiasmo e amor.

  • Adicionar comentário