Chico-Magro

 

CHICO-MAGRO /Guazuma tomentosia – Família: Sterculiaceae

CONHECIMENTO EMPÍRICO – A gelatina retirada do fervimento de sua casca é utilizada para emagrecer; combate a seborréia, queda de cabelo e é ótima contra tosse e asma. Quando utilizada (para emagrecer), excessivamente faz mal, causando vômitos e diarréia.

CONHECIMENTO CIENTÍFICO – O chá das folhas é sudorífera e purgativa; o chá da entrecasca é usado no tratamento de feridas, enquanto que a entrecasca em si pode ser fervida e utilizada para combater hemorróidas. Seu perigo está na casca que contém tanino.

Para a maioria das pessoas, é suficiente reduzir ao mínimo a ingestão de calorias e se empenhar na ginástica. O difícil é manter o corpinho enxuto depois que o regime acaba. Estudos médicos comprovaram que 95% das pessoas que emagrecem por força de dieta alimentar recuperam com certa rapidez os quilos perdidos.

Foto: Divulgação

Qual o segredo da minoria vitoriosa que continua magra por um longo período de tempo após o término da dieta?

Em busca de uma resposta para essa questão crucial da vida moderna, uma revista americana patrocinou a maior pesquisa já realizada sobre manutenção de peso. Foram ouvidas 32.213 pessoas que haviam feito dieta de emagrecimento. Apenas 8.000 mantiveram a boa forma por no mínimo um ano após o regime.

Desse total, metade não voltou a engordar por mais de cinco anos. A conclusão que se tirou do estudo desse grupo seleto de novos-magros é — pasmem — que se manter magro é mais fácil do que parece.

A primeira coisa que os pesquisadores fizeram foi estipular um período de tempo para checar se o emagrecimento é permanente. Esse prazo é de cinco anos depois de terminada a dieta.

• Aqueles que permaneceram em forma não se sujeitaram a dietas radicais nem a programas dispendiosos.

• 83% dos bem-sucedidos alcançaram os objetivos por conta própria. Só 14% se inscreveram em programas de auto-ajuda, como Vigilantes do Peso, Meta Real, e apenas 6% usaram medicamentos.

• 85% evitaram sopas e suplementos alimentares para substituir as refeições.

• Reduzir porções, comer mais frutas e verduras e suprimir doces e fast food foi a receita seguida à risca por mais da metade daqueles que permaneceram em forma por mais tempo.

• Entre os que voltaram a engordar só 20% seguiram com rigor o programa descrito no item anterior.

Foto: Divulgação

Com esses dados nas mãos, os pesquisadores puderam enfileirar algumas regras básicas para continuar no peso ideal.

Número 1: jamais passar fome.

Número 2: comer bem, só que de forma balanceada.

Número 3: transformar a atividade física em hábito. O que está evidente é que o erro primordial das dietas de baixas calorias é deixar a pessoa mal alimentada por período prolongado. Raras pessoas são capazes de passar fome de forma voluntária por mais de algumas semanas — fatalmente chega o momento em que a maioria joga tudo para o alto e ataca uma caixa de bombons.

Abandonar o sedentarismo é uma fórmula imbatível de driblar os efeitos nocivos do excesso de comida. Para 81% das pessoas que conservaram o peso, fazer exercícios foi fundamental. Andar foi a atividade mais comum. Já entre aquelas que mantiveram o peso ideal além do limite dos 5 anos, a musculação foi o exercício predileto.

Cerca de 30% dos integrantes desse grupo preferiram levantar peso a praticar atividades aeróbicas. “Há estudos que mostram que a musculação é mais eficiente, porque, quanto mais músculos uma pessoa tem, mais acelerados o metabolismo e a queima calórica”.

Engana-se, porém, quem acha que só com trabalho físico vai perder peso. “Cerca de 70% do sucesso de um programa de emagrecimento está associado ao tipo de alimentação e só – aproximadamente – 30% aos exercícios”. O que não pode faltar numa dieta de sucesso é a determinação e a vontade de mudar hábitos!

Como manter o peso ideal?

• Controle o consumo de carboidratos, como açúcar, macarrão e pães brancos. Prefira legumes, frutas e grãos integrais;

• Sempre que comer carboidratos combine-os com proteínas magras (carne de aves e peixes, clara de ovo e queijo branco);

• Inclua na dieta gorduras saudáveis, como o óleo de oliva, abacate, nozes, castanhas e peixes;

• Tente fazer da musculação e de exercícios aeróbicos parte de sua rotina;

Quando a pessoa come demais seu estômago fica muito cheio, a digestão é difícil porque ele não pode se expandir e contrair apropriadamente para triturar o alimento como é necessário. Portanto, para preservar seu bem-estar adote métodos mais saudáveis, não comendo nem mais, nem menos, do que o seu corpo necessitar.

Para saber a quantidade necessária, experimente fazer o seguinte:

Espere sentir realmente fome para comer;

Coma devagar e mastigue bem. Dessa forma a saliva pode cumprir o seu papel na digestão (a digestão se inicia na boca, e não no estômago). A mastigação lenta aciona o mecanismo de saciedade, que funciona assim: quando a quantidade necessária de comida chega ao estômago, esse envia mensagens químico-elétricas através de neurônios e hormônios até o hipotálamo (região do cérebro que responde pelo comando das principais atividades do metabolismo).

A mensagem de “chega” dispara, então, a sensação de satisfação plena do apetite. Como todo esse processo leva algum tempo (minutos), recomenda-se comer devagar. Assim, atinge-se a saciedade com menos comida. Se você acha difícil, passe a repousar os talheres no prato a cada garfada.

Lembre-se sempre que a alimentação é um prazer!

Portanto, escolha o que quer e o que gosta de comer. Seja mais exigente porque, afinal, é você quem vai comer.

Sem jejum! Muitas pessoas pensam que se pularem umas refeições estarão comendo menos e emagrecendo. Acorre o contrário, pois cada refeição feita após o jejum é marcada pela voracidade e assim a pessoa acaba comendo mais.

Não coma quando estiver cansado!

Você vai querer comer rápido, não vai escolher os alimentos que realmente quer comer para ir descansar logo, então descanse primeiro ao menos 10 minutos, respire fundo, ou vá tomar banho antes de ir comer.

Faça atividades físicas!

A adoção de atividades físicas melhora sua qualidade de vida, além de melhorar seu desempenho (no trabalho, em casa, no sexo) e ajuda a queimar as calorias que estão sobrando.

Se você não gosta ou não tem tempo para adotar a prática de exercícios, tente transformar suas atividades cotidianas em uma forma de se exercitar:

Vá a pé à padaria ou à banca de jornal;

Levante-se da cadeira durante o trabalho ao invés de usar as rodinhas;

Passei com o cachorro e brinque com as crianças;

Se andar de ônibus, procure saltar um ponto antes e vá a pé ao seu destino;

Esqueça o elevador ou as escadas rolantes e use escadas normais;

Ao invés de sair para jantar, saia para dançar;

Evite ficar parado o máximo de tempo que puder;

Todas as mulheres sabem que emagrecer é muito difícil, mas pior ainda é manter-se magra por um bom tempo. Seguindo as próximas dicas aliadas a uma dieta balanceada, você conseguirá manter-se magra e sem barriga, e quem sabe até emagrecer mais um pouco!

Coma muita salada crua. Elas matam a fome, além de deixar a barriga lisinha.

Não tome água durante as refeições. A água faz com que o estômago se dilate, abrindo espaço dia-a-dia para mais comida e mais fome!

Engane a sua fome durante o dia tomando muita água. Tome muita água pela manhã e a tarde. Mas nunca durante as principais refeições (café da manhã, almoço e jantar).

Coma muitas vezes ao dia, mas em pequenas quantidades. Assim, você mata sua fome aos poucos, e não se empanturra!

Coma muitos alimentos diuréticos, como melancia e abacaxi, e tome muito chá. Eles aliviam o inchaço, diminuem e barriga e saciam a fome.

Evite o consumo excessivo de sal. Ele causa inchaço, retém água e faz com que você se sinta mais gorda e pesada.

Engane seu estômago comendo devagar. Mastigue bem os alimentos. Assim, você come o suficiente, sem se descontrolar.

Comentário 1

  • Vera Lúcia01/06/2013 em 14:05

    Eu fiquei com vontade de comer chico magro quando eu estava grávida, meu marido só veio trazer a fruta quando minha filha tinha 14 anos (atualmente)…

  • Adicionar comentário