Beatriz Jakobowicz

 

Dentre todas as qualidades de Beatriz Jacobiwcz, para os que tremem diante de eletrônicos da nova era, ela aproxima-se da genialidade.

Sua formação matemática a leva  manejar com extrema facilidade, todo e qualquer aparelho recém-lançado no mercado. Abrir o maravilhoso mundo da informática para um assustado iniciante parece ser o seu maior prazer.

Sua paciência aliada à sua didática acalma os tremores provocados pelos temores do desconhecido. Traduzindo para uma linguagem de fácil entendimento ,já na primeira aula, ela consegue criar  a intimidade do seu aluno com o computador. Graças a excelência do seu método, centena de pessoas maduras tem saído do ostracismo e plugados, passam a dar novo sentido à vida.

 

AVPelo que os indicadores mostram apenas 3% de internautas são  maiores de 60 anos. A seu ver, quais as causas maiores que justificam  este índice tão baixo?

Beatriz- O desconhecido. Medo, às vezes falta de oportunidade.

AV- Como começa, sobretudo a Internet na rotina dos mais maduros? 

Beatriz- A internet começa a fazer parte dos mais maduros em vários momentos, o primeiro para poder acompanhar, filhos netos e ate entender a nova linguagem de jornais e revistas. Hoje em dia quando você começa a ler algum artigo e lêem os termos Facebook, Twitter, Google, você deve ter algum conhecimento para pode entender, se não tudo parece outra língua.

AV- O primeiro contato com você é feito pelo próprio interessado ou por terceiros? 

Beatriz- Na maioria das vezes pelo próprio interessado. Mas existem alguns que vem através de filhos, sobrinhos, etc.Existe a resistência de não saber mexer no computador como uma novidade. A vergonha de nessa altura da vida ter que tomar algum tipo de aula.

AV- Famosa por tirar dos maduros o “fantasma” do desconhecido mundo tecnológico, qual seu segredo? Qual a primeira lição da primeira aula? “Se a minha não foi a de localizar o botão do ligar… estava tão perto!”  

Beatriz- O grande segredo é tentar entender a dificuldade de cada pessoa e mostrar que nada é um bicho de sete cabeças. Eu sempre tento enxergar o que a pessoa quer e gostaria com o computador e internet.  Posso garantir que cada aula para cada pessoa é totalmente diferente. Esses novos aparelhos como smartphones tais como Black Berry, iphone, androids e tablets ampliaram muito o horizonte das pessoas de querer aprender e acompanhar a onda tecnológica.

AV- Como entrou esta atividade na sua vida? 

Beatriz- Sou formada em matemática, lecionei bastante em escolas e aulas particulares. Fui trabalhar com computadores na época grandes computadores até que começaram a desenvolver os primeiros computadores pessoais. Tive uma empresa de desenvolvimento de software educativa, mas na época as escolas achavam que nunca o computador entraria em salas de aula. Depois trabalhei com algumas empresas e fui trabalhar em um escritório de advocacia para poder ensinar as pessoas a trabalharem com o mouse. E assim até hoje tento ajudar as pessoas a usar computadores, telefones, tablets, etc.

AV- Para você, fera na tecnologia, como era no início confrontar-se com uma pessoa tão distante da sua capacidade em plugar-se?(fiz esta pergunta, pois acho divertida a idéia de um olhar para o outro, sentindo estar vendo um ET!) 

Beatriz- Quem resolve ter aulas ou desvendar o medo do computador já deu o primeiro passo, e já quer entender de tecnologia.  Àquele que é avesso a ter qualquer contato nunca vai querer marcar aula, o importante é ter a vontade de aprender.

AV- Você sugere a intimidade que cada um pode ter na Internet, ou se baseia nos interesses apontados pelo “aprendiz”? 

Beatriz- Eu tento seguir o que o aluno quer tenho que entender a velocidade de cada um.

AV- Em quanto tempo uma pessoa madura, totalmente alheia ao funcionamento do computador, começa a “co-pilotar” o computador?

Beatriz- É rápido geralmente altero algumas configurações para deixar de um modo fácil, e logo em seguida a pessoa já começa a “pilotar”. Desde o primeiro momento o aluno já está contato com o computador.

AV- Qual a maior dificuldade no aprendizado desta turma? 

Beatriz- Se houver falta de interesse.  Tenho alunas com mais de 80 anos navegando na Internet, usando Black Berry, etc.

AV- Se computador já é complicado para a turma do On e Off, a linguagem então… soa  a hieróglifos. Para lidar com os absolutamente iniciantes, você deve aliar à sua paciência,umas explicações mais simples.Se verdade,exemplifique. 

Beatriz- Penso que sempre temos que adaptar a linguagem da pessoa e tentar mostrar as facilidades e novidades que o mundo moderno oferece.

AV- Quais os prazeres maiores que os maduros podem tirar com o uso do computador? 

Beatriz- Comunicar com filhos, netos, sobrinhos. Entretenimento. Uma diversão você pode jogar mesmo se os amigos não querem. Ler um livro mesmo se esqueceu de comprar.

AV- Existe  alguma parcela desta faixa-etária que  ainda considere “tratar” o computador de uma ferramenta solitária? 

Beatriz- Acredito que sim. Às vezes é solitária mesmo.

AV- O mal que mais assusta a turma dos madurões é o tal do Alzheimer. Você teve algum contato com alunos que tiveram brecado o desenvolvimento da senilidade pelo uso do computador? 

Beatriz- Esse contato ainda não tive. Não tenho conhecimento para dizer se conseguimos parar a senilidade com o uso do computador.

AV- Na sua família, todos os sessentões são?

Beatriz- Posso dar o exemplo da minha mãe. Ela se comunica por emails com várias pessoas, lê vários jornais na internet. Quis aprender a mandar torpedos pelo celular para facilitar a Comunicação com neta, filhos. A grande vantagem é que ela tem muita vontade.  

AV- Se fosse dada a você a criação de uma campanha divulgadora dos benefícios do uso da tecnologia da informática em geral e do computador em particular, quais as vantagens que você salientaria para aumentar o índice de maduros plugados? 

Beatriz- Venha para o novo mundo, se comunique com as pessoas, jogue, visite museus mesmo estando em casa. Leia jornais de outros países.

 

Comentários 6

  • Cris Macedo27/07/2012 em 15:56

    Be
    Sempre disposta a ensinar!! Isso é um dom.. Parabéns, amiga!!

  • beth24/07/2012 em 12:39

    Parabéns, professora!!!
    o melhor da Bia é que se ganha uma amiga informatizada e não só uma professora.
    Ela é cativante e terna.

  • Dora Chusyd10/07/2012 em 18:41

    Beatriz, a entrevista está perfeita;
    ela retrata exatamente como você é: bonita, carinhosa, boa filha e ótima profissional.
    Sucesso nos seus empreendimentos.

  • clara soiher10/07/2012 em 08:39

    Be que bela entrevista. Quando eu li me senti perto de voce em tudo o que voce falou. Voce é bárbara em todos os sentidos, como filha , irmã. tia e tia bisavó. parabens

  • norma09/07/2012 em 23:14

    Be,
    que máximo,
    já quero me atualizar,pois foi com voce que aprendi o B A BA
    Mas imagino que suas horas já estão esgotadas.Não sabia que estava ainda
    dando aulas,se tiver tempo,eu quero sem dúvidas.beijoka e parabens

  • Beatriz09/07/2012 em 18:31

    Ana Maria
    Adorei como ficou, realmente não tinha visto.
    obrigada pelo carinho de sempre
    beijos e sucesso no seu site.

  • Adicionar comentário