As tais linhas…

 

Estrias

Elas andam de mãos dadas com a celulite, no ranking das catástrofes mais odiadas pelas mulheres e são tão incômodas quanto. No verão então, que geralmente ficam mais expostas por conta dos biquínis, elas parecem ter vindo de um filme de terror quando olhamos no espelho e detectamos a pele como se fosse um verdadeiro mapa. E mesmo que os homens insistam em dizer que não detectam estas imperfeições da pele com o olhar, não há mulher no mundo que se sinta confortável ao enfrentar a praia com as tais marquinhas.

Foto: Divulgação

As tais linhas, mais conhecidas como estrias, são resultado do rompimento das fibras elásticas. E é durante a gravidez que a mulher está sujeita ao estiramento e alterações hormonais que facilitam seu aparecimento. Esportes como musculação e artes marciais, e uso de medicamento com corticóides também são os vilões que trazem esse pesadelo à realidade. Mas elas acabam aparecendo aos montes principalmente com oscilações de peso. O tão famoso efeito sanfona.

“O processo consiste em estimular uma regeneração das fibras elásticas que foram rompidas, ou seja, uma restauração da pele”, conta Bianca que salienta que os tipos mais comuns de estrias são as rosadas e esbranquiçadas, sendo que as rosadas são as mais recentes e mais fáceis de tratar “O tratamento pode atingir 100% dos resultados, pois o tecido ainda tem a capacidade regenerativa e a morte da fibra ainda não se estabeleceu”, explica.

As melhores maneiras de se evitar o aparecimento? Evitar oscilações de peso (efeito “sanfona”), obesidade, uso indiscriminado de medicações que tenham corticóide na sua fórmula e durante a gravidez usar cremes para prevenir e evitar o ganho excessivo de peso.

Foto: Divulgação

Mas para quem não tem cuidados fica com estrias e os melhores procedimentos são: “Nas estrias rosadas (as mais recentes) está indicado peeling e uso de ácido em cremes em casa e nas estrias esbranquiçadas (as mais antigas) pode-se injetar algumas medicações através de micro injeções (mesoterapia) na linha da estria capaz de estimular um processo regenerativo, peeling de cristal, laser e luz pulsada e também o uso de cremes com ácido em altas concentrações em casa.” Os pacotes geralmente são de 10 sessões de peeling e mesoterapia “e vamos acompanhando a recuperação da pele da paciente.

O que fazemos também em estrias mais antigas é associar a mesoterapia, os peelings com o laser e a luz pulsada. O número de sessões depende do tempo da estria, da cor dela e da resposta de cada paciente ao tratamento”, revela.
– A estria pode ser considerada um problema de saúde quando associada a uma síndrome chamada Síndrome de Cushing que é causada pelo excesso de corticóides e alguns tumores. As estrias causadas por doença são bem características e o médico logo suspeita desta síndrome.

– O que faz com que as estrias se instalem definitivamente não é o sol, mas a própria evolução dela, ou seja, o tempo em que ela está instalada na sua pele.

– As partes mais afetadas pela estria são abdome, parte interna das coxas e braços, na região lombar e seios. As estrias no abdome são mais difíceis de tratar que as das coxas.

Foto: Divulgação

 

Por Bianca Gastaldi

Adicionar comentário