Amantes da Vida recebem Medalha Combatentes da Força Pública

Descrevi aqui no nosso portal, nossa expectativa, minha e da Ana Maria Boucinhas, em receber, do Instituto Histórico Militar, a Medalha Combatentes da Força Pública. Nada mais pertinente, portanto, em dar seguimento ao assunto, discorrendo sobre o evento propriamente dito.

Nunca tinha visitado o Instituto de Engenharia de São Paulo, na Avenida Dr. Dante Pazzanese, na Vila Mariana e a oportunidade de fazê-lo veio a calhar.
Ao chegarmos, fomos recebidas com um delicioso coquetel e tivemos a chance de admirar a exposição do acervo histórico militar, cujos focos principais são a Revolução de 32 e a Segunda Guerra Mundial, além de roupas históricas de época.


A seguir, visitantes e autoridades foram conduzidas ao auditório onde teria lugar o evento, sendo convocados os que iriam compor a mesa de honra. A abertura da solenidade, com o Hino Nacional cantado por todos os presentes e por jovens integrantes da Associação Internacional de Fiéis de Direito Pontifício, os Arautos do Evangelho, foi emocionante. Não consigo cantar nosso hino sem que me venham lágrimas aos olhos.


Nas laterais do salão, os Dragões da Independência, do 1o. Regimento de Cavalaria de Guardas, com seus vistosos uniformes, revezavam-se de tempos em tempos.
Os discursos foram breves, concisos e sem qualquer cunho político, como se poderia aduzir, dado estarmos em período pré-eleitoral.
Falou-se, isto sim, da responsabilidade individual e coletiva de cada cidadão dentro do âmbito nacional, do dever de respeitar o que nossa bandeira representa, da importância do ensino, da preservação de todos os valores.
Alegrei-me ao constatar como há jovens valorosos, que batalham pela vida e vencem, independentemente de terem nascido ricos ou pobres, sem distinção de raça, como muitos querem que acreditemos serem estes fatores impeditivos do sucesso. Diversas mulheres ocupando cargos de destaque e comando na Força Pública e na magistratura, também foram fatos notáveis. 

Se a vida é feita de momentos, os que vivenciei durante a solenidade ficarão para sempre gravados em minha memória. Agradeci a Deus ter sido distinguida com esta medalha que deu-me a chance de estar presente num evento tão solene e por constatar que ainda temos todos nós brasileiros, pelo que nos orgulharmos em nossa pátria.

                                                                     MARIA EUGENIA CERQUEIRA

Adicionar comentário