Em Londres…

Alvoroço em Londres

Em seis anos, Londres se transformou para receber os Jogos Olímpicos. Construções sustentáveis eficientes, de alta tecnologia farão da próxima Olimpíada um exemplo de desenvolvimento urbano consciente e criam novos pontos turísticos temporários ou permanentes na cidade. 

Ao norte do Parque Olímpico, o Velódromo destinado às modalidades de ciclismo e ciclismo de pista paraolímpico é uma construção permanente, com sistema de ventilação 100% natural, que deixa a pista em ótimas condições e dispensa o ar-condicionado e que será posteriormente adaptada para uso público. 

 

Foto: Divulgação

 

A North Greenwich Arena, localizada na península de Greenwich, à direita da linha do meridiano, construída em 1997 para as comemorações da passagem do milênio, foi dez anos mais tarde, todo remodelada para abrigar uma área de esportes e entretenimentos. Já conta com instalações e equipamentos para a prática de esportes olímpicos (ginástica artística e trampolim, basquete e basquete de cadeira de rodas) e após o evento continuará a receber apresentações artísticas e esportivas. 

O Centro Aquático, localizado a sudeste do Parque Olímpico, projetado pela arquiteta iraquiana Zaha Hadid, de linhas desconstruídas e orgânicas tem um belíssimo telhado em forma de onda, com 160 m de comprimento e 80m de largura, com um teto de alumínio totalmente reciclado. A obra começou em 2008 e terminou em 2011 podendo abrigar 17 mil espectadores. Há uma piscina de 50 metros para competições, outra de 25 metros para mergulho e ainda uma especial de 50 m para aquecimento. Após as Olimpíadas será destinado à comunidade local. 

 

Foto: Divulgação

 

A Arena de Basquete ao norte do Parque Olímpico e a Polo Aquático Arena são obras temporárias cujos materiais serão reutilizados ou realocados  em outras cidades do Reino Unido. 

O Estádio Olímpico será palco das cerimônias de abertura e encerramento, sediando o atletismo e o atletismo paraolímpico. Considerada a mais sustentável dos Jogos de Londres, foi erguida com estrutura de aço 75% mais leve em relação ao de outros estádios e utilizando concreto com 40% menos de carbono A obra começou em 2008 e levou menos de três anos até sua conclusão. Situado em uma espécie de ilha tem cinco pontes de acesso que ligam o estacionamento ao interior do estádio, com capacidade para 80 mil pessoas. Após os Jogos, o espaço foi projetado para se adaptar a diferentes eventos artísticos e esportivos. 

 

Foto: Divulgação

 

De 27 de julho a 12 de agosto, o mundo esportivo só terá olhos para Londres, com bilhões de pessoas focadas no tema e nós, brasileiros, esperamos trazer para casa um número significativo de medalhas (até hoje o Brasil conquistou 91 medalhas nas Olimpíadas), coroando os esforços de nossos atletas e inflando nossos corações de orgulho. A centésima medalha vem por certo!

 

 

Adicionar comentário