Alfredo Donadio

 

Faltando sessenta e sete dias para terminar o ano de 1950, nasceu em São Paulo, na Capital, Alfredo Donadio, sob o signo de escorpião. Em seu sangue, trazia traços italianos, dos avôs paternos e portugueses, do lado materno. A origem do nome Alfredo, no entanto, é atribuída aos espanhóis e significa aquele que sabe dar conselhos e que usa a lógica para atingir os objetivos e afastar as más influências.

Alfredo nascia no mesmo dia em que o precursor do Cubismo, que revolucionou toda a arte do século XX, comemorava seu aniversário: Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno Maria dos Remédios Cipriano da Santíssima Trinidad Ruiz e Picasso! Dia que a Igreja católica dedicara ao único santo brasileiro, que nascera e vivera nesta terra, Antonio de Sant’Anna Galvão, o Frei Galvão de Guaratinguetá. Com toda esta bagagem, como diz o ditado, “quem é bom já nasce feito”!

A família era pequena, Alfredo e o irmão, que na juventude gostava de futebol e basquete. Alfredo graduou-se em engenharia civil e matemática, dedicando-se, de 1976 a 2006, trinta anos, portanto, a construções e projetos desenvolvidos principalmente em Alphaville, a partir de 1982. Nos anos 70, fora sócio de uma escola especializada em aulas para reforço escolar no bairro da Pompéia, em São Paulo.

Foto: Divulgação

De personalidade intensa e profunda, que lhe serve como fonte de energia emocional e física, dedicou-se, até 2010, a organizar corridas de rua em Alphaville, num período em que nada havia sido feito no bairro, neste sentido.

Quem é governado por Plutão, não fica parado e hoje Alfredo colabora na administração de uma escola com cursos profissionalizantes de informática e inglês, área voltada para Curso Preparatório para Supletivo (fundamental e médio) e onde também está sendo implantada outra área voltada para o desenvolvimento de games e animação em 3D,  em ascensão e com grande mercado no mundo todo.

A trajetória profissional de Alfredo mostra-o sempre adiante do tempo, antecipando tendências e expressando-se de formas diferentes, mas sempre comprometido com suas metas, seguindo suas intuições. Reconhece que, por vezes, sua forma contundente de expressar suas opiniões, choca algumas pessoas, mas sabe ser extremamente amável “com quem merece”, em suas próprias palavras.

É da personalidade do Escorpião, sem sombra de dúvida, esta atitude, e não se constrange de dizer que já chorou de alegria e de emoção, várias vezes e sempre por causa de um objetivo alcançado ou um fato ligado a afetividade. Tem horas na vida que não dá para segurar… Se lhe fosse possível, eliminaria o egoísmo no mundo. Acredita, acertadamente, que assim o mundo seria cooperativo e as pessoas teriam uma visão ampla suficiente para enfrentar todos os acontecimentos.

Pelé, Emerson Fittipaldi e José Roberto Guimarães são considerados ídolos esportivos, pelo entrevistado. Para os desavisados, José Roberto Lages Guimarães, mais conhecido como Zé Roberto, é um ex-jogador de vôlei, técnico da Seleção Brasileira de Voleibol Feminino, único no mundo campeão olímpico com seleções de ambos os sexos.

Como exemplo de esportista de garra, cita Alberto Salazar, corredor cubano, nacionalizado americano que frequentemente desmaiava em suas chegadas, tamanho esforço “heroico”, foco e determinação para ser vencedor. Alfredo conheceu-o pessoalmente em 1995, na segunda edição da Maratona da Disney. Na época Salazar fora contratado para dar credibilidade à prova.

Todos os esportes, ao ver do entrevistado, são espetaculares e capazes de empolgar quem os pratica. Em suas palavras, “todos os esportes são formidáveis. Acredito que quando nos falta habilidade para praticar algum esporte e insistimos na ação, nós nos tornamos idiota. Mas, o esporte? Jamais!”. Se não implicasse tantos riscos, o paraquedismo esportivo radical estaria em seus planos, pela impressão de liberdade total que passa, mas “o seguro morreu de velho”…

Os dias de Alfredo Donadio seguem conforme a sua programação e são aproveitados ao máximo. Na realidade não leva muito a sério a opinião alheia, desde que esteja satisfeito consigo próprio. Incomoda-se com a injustiça e o abandono pela sociedade, de quem precisa de ajuda, seja em que campo for da vida.

Apesar de participar do Facebook, entende que, em redes sociais há conhecidos e não amigos. Com estes, as coisas funcionam de maneira diferente, afirma muito acertadamente. Alfredo afirma que a Internet foi a maior invenção da atualidade, modificando o mundo, a forma de comunicação e de informação, motivando uma nova tecnologia. O alcance é inimaginável já que teria dado poder às pessoas, possibilitando pesquisas e os mais diversos conhecimentos.

Foto: Divulgação

O Portal Amantes da Vida questionou Alfredo sobre o brasileiro que, a seu ver,  mais teria influenciado os destinos do país, ao que respondeu: “Se a pergunta fosse: Quem você acha que é o brasileiro mais desprezível do Brasil, a resposta seria mais fácil apesar de muito longa para uma só entrevista, mas como não é essa, vamos lá: – Entendo que não temos um único brasileiro – político – que tenha influenciado “mais” os destinos do país. Em cada época, desde o descobrimento, tivemos alguns movimentos que fizeram a história que hoje enfrentamos. “Líderes”, que vão de D. João VI, até a presidente Dilma, passando por Vargas, JK, Castello Branco, Fernando Collor, FHC e Lula. Cada qual, em seu tempo, influenciou ou influencia ainda hoje os rumos do país. De todos esses, em função de ser contemporâneo, tiro o meu chapéu para o FHC, pela historia de vida, formação, postura ética, de estadista e até pela escolha da esposa.”

Em suas leituras, Alfredo privilegia as biografias, pois através delas, muito se aprende – a vida de Steve Jobbs foi seu último livro de cabeceira. Há dez anos está vivendo um segundo casamento. Do primeiro, tem gêmeos, Fábio e Bruno, que completarão 29 anos no dia trinta de abril. A veia esportiva “runs in the family”: já praticaram natação, karatê, futebol, squash e outros.

Com o passar do tempo, as exigências da faculdade e da profissão passaram a serem fatores limitantes, mas mesmo assim, não deixam de passar algumas horas da semana na academia ou andando de bicicleta por Alphaville, sem rotina, por pura diversão. Alfredo acha que eles têm grande chance de se tornarem triatletas, pelo histórico de natação, bike e o exemplo das corridas do pai! Respeita o momento e a escolha de vida dos filhos mesmo porque, sendo taurinos, seria difícil fazer certas imposições…

Foto: Divulgação

Alfredo Donadio atingiu o estágio em que as corridas tornam-se experiências transcendentais. Só quem já experimentou correr por longos períodos de tempo, consegue entender este tipo de sentimento.

Ele explica: “A corrida longa proporciona grandes prazeres, pois nos deixa mais “sensíveis”. É espírito puro. Inexplicável e indescritível por ser volátil e contundente. É uma conversa consigo mesmo que desperta o Deus e às vezes o Demônio que está dentro de nós. Qualifico como uma sensação perigosa, pois nos envolve numa aura de “segurança” e introspecção profunda e muito especial. Permite a respiração plena e absoluta. Faz-nos pensar com muita luz e esperança. Soluciona todos os problemas mesmo que eles retornem após o banho. Correndo você consegue resumir todos os sentimentos em momentos de felicidade e paixão plena”.

Apesar da euforia da tão falada endorfina, a maratona ou as ultras tornam o indivíduo mais humilde, ciente das limitações do próprio corpo. Cada dia reserva uma experiência nova e o respeito pelas modificações e flutuações físicas é que permite que o corredor continue praticando seu esporte, dentro dos riscos previsíveis. Por isso é que Alfredo Donadio afirma que o momento mais importante do seu dia é quando acorda e sente que está vivo. Realmente, a vida nada mais é que um dia após o outro – o presente é que importa – o futuro é incerto e o passado é história.

 

Comentário 1

  • Iva Galiza05/04/2013 em 09:10

    Conheço Alfredo ha há mais de 20 anos e sei das suas qualidades e ações colocadas na matéria.
    A coisa, porém, que mais me faz gostar dele é que é um Ser Humano raro. Bondoso, correto, amigo e solidário. Sabe enfrentar as adversidades com muita coragem e está sempre pronto a ajudar.
    É um amigo que tenho a honra de contar entre os meus.
    Um grande abraço fraterno caro Al.

  • Adicionar comentário