Além do Limite

por Ana Boucinhas 

 

Valorizar e agradecer o que temos de mais simples é uma maneira inteligente de se encarar as dores sentidas por fatos complicados, mas superáveis.

O Espaço Uruguay, um local destinado especialmente a eventos artísticos, preencheu sua elegante sede com telas, esculturas e fotografias coloridas e cheias de vida.

A beleza das obras, de dimensões imensuráveis, aumenta ainda mais quando se apercebe que são todas feitas por artistas com severas deficiências físicas e mentais.

Em uma tela grande, o jovem Daniel Ferreira, usando os pés para expressar sua arte, apresenta um índio de uma beleza plástica irrebatível.

A luminosidade de uns antúrios surpreende quando se toma conhecimento de que foi feito pelo artista Gonçalo Borges, que usa a boca para segurar os seus pincéis.

A deficiência visual não impediu a artista Anna Bonucci de seguir os passos de seu nono Giulio, artesão homenageado por seus trabalhos em igrejas em Pistoia. No uso de madeiras, tecido e vidro, cria peças de inspiração divina que transmitem a felicidade que tem ao produzi-las.

O carismático Osmar Santos, conhecidíssimo radialista de futebol, iniciou-se na arte da pintura, depois que ficou com sequelas enormes provocadas por um acidente, é outro que apresenta seu trabalho artístico na exposição.

Poderia arrolar o nome e características dos dezoito artistas que compõem a vibrante exposição.
Mas basta uma rápida pincelada para nos fazer repensar sobre o que realmente importa na vida.
Parabéns à curadora e responsável pelo Espaço Uruguay, Clara Mourão, por proporcionar um profundo mergulho na realidade existencial, quando decidiu exaltar a importância da inclusão dos deficientes no mundo das artes.

Pelas cores vibrantes e alegres das obras apresentadas, sente-se que a felicidade pode existir aos que não foram abençoados com as coisas mais simples da vida.

Não é à toa que esta exposição chama-se “ALÉM DO LIMITE”.

 

A exposição vai até o dia 15 de janeiro, na Avenida Paulista, 1776 – 9o andar.

Todas as peças dessa exposição poderão ser comercializadas, e os adquirentes levarão, além de sua compra, um Certificado de Cidadania Inclusiva.

 

 

Adicionar comentário