Adelina Silveira de Alcântara Machado

 

O perfil desta incrível mulher foi determinante para a concretização do nosso projeto. Sua inesgotável energia é usada com garra, determinação alegria e entusiasmo para tocar ao mesmo tempo várias atividades, todas coroadas com êxito.

Sua coleção de prêmios testemunha a sua capacidade. Exemplo maior de Amante da Vida.

AV- Quando e como você assumiu a Presidência da OBME? 

Adelina- Assumi a presidência em 2004 quando fui escolhida por um comitê do Femme Chef D´Enterprises Mondiales. Fui indicada pela França por ter sido representante e loja Joalheria Christian Dior. O mundo inteiro faz  parte desta organização ver no site www.obme.com.br 

AV- Quais os principais objetivos?

Adelina-  Os principais objetivos estão ligados ao empreendedorismo feminino, ao fortalecimento da mulher empresária, isso têm traço forte na direção da Entidade, principalmente em relação às pequenas empresas que nascem diariamente nas mãos de mulheres que sonham empreender, crescer e se desenvolver. Prova disto é o numero de mulheres que aderiram ao EI – empreendedor individual.

Em 2007, a OBME realizou em São Paulo, o II Congresso latino-americano de Mulheres Empresárias, reunindo representantes de diversos Estados Brasileiros, autoridades e representantes de países latino-americanos e também ligados a FCEM.

Em 2010, as representantes brasileiras participaram do 58º Congresso Mundial de Mulheres Empresárias, em Florença, Itália. O evento teve a presença de vários representantes de países da Europa e EUA, que foram recepcionados por Laura Gucci, Presidente da Associação Aidda de Mulheres Empresárias e Líderes Empresariais da Itália.

AV- No quadro de associadas, qual a percentagem de mulheres maduras? Estas entraram no ramo empresarial por determinação própria ou assumiram as atividades com o falecimento dos respectivos maridos?

Adelina- No quadro de associados têm várias mulheres maduras que são mais poderosas tanto no conhecimento de vida como profissionalmente também.
Mais de 60% são mulheres maduras.
Várias se fizeram sozinhas também, tanto na área comercial, industrial, financeiro sempre focando vencer.

AV- Diante da sua enorme disposição física, como concilia suas diversas atividades?

Adelina- Já diziam  – entregue a uma pessoa que faz tudo, ela consegue fazer, entregue a uma pessoa que não faz nada ela não consegue fazer.Essa é a vida. Quanto mais você faz mais gosta de fazer.

AV- Como é a sua adaptação na era da informática? 

Adelina- Todos nós tivemos que enfrentar a internet. No começo parecia uma coisa difícil, um quebra-cabeça. Hoje ninguém vive sem essa tecnologia maravilhosa. Como uma criança que acha que não vai conseguir andar, ler e de repente está lendo muito bem.

AV- Para que a jovem empresária entenda a importante revolução comportamental que nossa geração participou ativamente nas décadas de 60/70, quais os papéis que sua mãe e sua avó exerciam no mundo adulto?

Adelina- Elas eram sábias mesmo ficando em casa comandavam todos os passos dos maridos. Mesmo eles se sentindo machistas.

AV- Você pratica alguma atividade física? 

Adelina- Pratico e acho que todos nós precisamos. Hoje é saúde fazer esporte e saber o que comer. Vida saudável. Pratico natação, caminho, já fiz ski na neve  e adorava agora com tempo mais curto não tenho mais coragem nem idade, posso levar um tombo e fica mais difícil a cicatrização. 

AV- Desde menina, você já se destacava pela escolha do seu destino. O que a levou a optar por Sociologia e Política?

Adelina- Não escolhi o meu destino, mas era muito preocupada com o comportamento das pessoas nas casas, na rua e no trabalho. Entrei  na   PUC do Rio de Janeiro e adorei. Logo depois vim para São Paulo e não voltei mais. Minhas raízes ficaram aqui e hoje tenho família enraizada.

AV- Como se deu a sua entrada no artístico mundo das jóias? 

Adelina- Eu sempre fui metida, entrava nas joalherias via uma pulseira juntava duas. Um dia conheci a mulher que traçou meu destino ela na época tinha 65 anos, faleceu agora com 100 anos.
A Papisa da Moda Eleonora Lembert, ela ditava a moda nos Estados Unidos. Saia com seu motorista e na limousine ia para escritório ditar a moda depois almoçava com Nancy Reagan, voltava para o escritório lanchava com Ivana Trump, depois ia ao teatro com alguém que chegava do Brasil, foi muito amiga de Zuzu Angel depois ficou  muito amiga da Hildegard Angel.
Chegamos a viajar para Ouro Preto com a turma do Metropolitan Museu com Gilberto Chateaubriand. Perguntei a essa senhora já com seus 80 anos adorava vir na Fenit, o Dr. Caio Alcântara Machado convidava sempre, ela disse que não se cansava e respondeu – Eu ficar em casa e morrer inanimada? Nunca!
Olhei bem e disse: Vou ser esta mulher cheguei ao Brasil e comecei o Caio, foi meu companheiro durante 34 anos. Vou trabalhar ele riu e disse: Com quem? Olhei bem e falei: Com jóias!  Comecei e vendi todas que tinha. Fui convidada numa com toda a mobília igual da França. Logo em seguida segui com a carreira de joalheria chegando a ter cinco lojas simultâneas
concorrência para abrir a joalheria Christian Dior um a replica da Av. Montaigne Hotel Maksoud, Oscar Freire, Shopping Tatuapé, Shopping Jardim Sul, Shopping Campos de Jordão. Fechei todas quando Caio faleceu.
Hoje trabalho na Brasil Listas da minha amiga Sandra Regina Gomes e sou Presidente da OBME.

AV- Você tem algum projeto específico em curto prazo? 

Adelina- Tenho sempre projetos. Agora estamos desenvolvendo projetos para 3º idade no esporte, estamos com  a Super Eco preservação da mata Atlântica enfim sempre direcionado para a saúde.

AV- E a médio e longo prazo?

Adelina- Em longo prazo é um sonho ver um Brasil unido sem corrupção, sem drogas com CIDADANIA.

AV- Onde você passa, deixa um rastro de luz. No seu coração algum brilho deixado por um dos seus feitos merece um destaque especial?

Adelina- Isso você está dizendo, eu acho que todos nós temos este brilho é só despertá-lo. Adoraria terminar dizendo que se você faz alguma coisa que gosta, se você trabalha no que gosta você é escrava do prazer, se trabalha no que não gosta é escrava do trabalho.Também adoro a frase de Chico Xavier “Você não pode fazer um novo começo, mas pode fazer um novo fim”.
É isso que vamos aproveitar todos os momentos.

Adicionar comentário