A Naturalidade do Desejo

 

Carina Correa Bastos e colaboradores do Instituto de Geriatria e Gerontologia da PUC-RS, na “Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia”, mostram estudo que aborda a sexualidade do idoso, informando que a sociedade relega aos mais velhos a abstinência sexual, aceitando manifestações neste campo somente para os jovens.

Grande parte de pessoas acima de sessenta tem interesse por sexo. Os autores do trabalho demonstram que 41,9% do universo de 1.078 idosos privilegiam carinhos e toques como forma de demonstração de sexualidade. São maneiras de manifestar a sexualidade, como o companheirismo e a ternura.

A pesquisa demonstra que o envelhecimento não impede o desejo sexual. Esse tema parece ser de abordagem problemática até para o próprio idoso, mas deveria ser tratado com naturalidade, pois faz parte da essência do homem e da mulher. Quando vemos um casal de jovens se abraçando e tocando em público, achamos a coisa mais normal do mundo ao passo que dois velhos abraçados, trocando carícias e beijos, são vistos com restrições e muitas vezes até alvo de críticas até mesmo por parte de seus contemporâneos.

Esse estigma social tem quer ser abolido, pois avós e avôs continuam amando, sentindo desejos e precisam ser aclamados por prolongarem um aspecto da vida tão prazeroso e indispensável a todos os seres vivos. Quem ama cuida e. cuida-se! Isso é bom para o indivíduo, mas também para a sociedade. Há que se tratar do assunto abertamente, trazer à baila o lado bom de amar e sentir-se amado, independente da data de nascimento: ser velho não é ser assexuado!

Que todas as gerações ponham isso na cabeça – os moços de hoje serão os velhos de amanhã e passarão por situação idêntica! A pesquisa feita pelo Instituto do Rio Grande do Sul expõe a verdade: não há estagnação do desejo sexual! Já que nosso site tem vários leitores que se encontram em faixas etárias mais elevadas, que admitam e assumam suas condições de pessoas sexualmente ativas para garantirmos pesquisas e desenvolvimento científico nesse campo, pois se calarmos nosso desejos, eles não se tornam realidade. Participem! Mandem suas opiniões!

Foto: Divulgação

 

Adicionar comentário