A Incrível Dubai

 

Tem muita gente que esnoba Dubai, rotulando-a de cidade Nova-Rica. Efetivamente, até 1930, montes de areia compunham esta parte dos Emirados Árabes, mera passagem de transporte de mercadorias. Nesta época, a família Maktoum se plantou por lá constituindo a primeira tribo. Mas, coitados nada a fazer a não ser aproveitar da pesca, onde as ostras com suas pérolas eram as vedetes.

Em 1966, descobrem que o solo escondia o tesouro negro. Daí pra frente, só alegria! Das dunas do deserto para o tremendo pólo comercial que virou apenas 66 anos se passaram (não custa lembrar que Brasília foi fundada naquela mesma época).

Pela fama de ser uma cidade de luxo e glamour, esperava encontrar a “breguice” da irmã gêmea Las Vegas, no mínimo.

Mas bastou chegar ao aeroporto, já deu pra perceber que o luxo e o bom gosto imperavam. Sobre um piso imaculadamente branco ressaltado por uma iluminação maravilhosa, os elementos aço e vidro convivem harmoniosa e elegantemente com imensas palmeiras naturais. Que cartão de visita!
Uma lambourghine amarela num dos espaços, ali para ser sorteada, era o único plus. Mas, tudo bem.

Na ida para o hotel, me senti a Maria Antonieta, apreciando o acabamento final de Versailles de tantos guindastes espalhados pela cidade (mera liberdade poética). Era o ano de 2009 e na pequena Dubai, havia no momento, a maior concentração de guindastes do MUNDO!

Foto: Divulgação

Mas já tinha muita coisa pronta e, que construções! Não é que parece, mas Dubai é o “showroom” dos melhores e mais arrojados arquitetos do mundo.
Sabedora da existência de um interessante ringue de patinação no Mall of Emirades, fui matar minha curiosidade. Mas não é um grande retângulo para peripécias com patins, como os avançados shoppings internacionais ostentam, o que me esperava.

Os caras simplesmente criaram uma estação de Sky, com direito à “snowboard”, e “lifts” para levarem as crianças ao topo e descerem esquiando literalmente… um dos maiores resorts de ski indoor do mundo, com 22.500 metros quadrados de área de patinação interna (correspondente a três campos de futebol).

O contraste com a modernidade é uma curiosidade à parte. Separados por enormes blindex, zelosas mães apreciam seus pimpolhos num cenário invernal arrojado, “emburcadas”, digo com centenárias burcas que as cobrem por completo, deixando somente os brilhantes olhos à vista.

Foto: Divulgação

A disputa pela freqüência leva outro shopping a esnobar com um tremendo aquário que ocupa quatro andares, onde mais de 33 mil animais marinhos sobrevivem numa boa, o Dubai Mall é o maior Shopping Center do mundo. Está localizado no complexo Burj Khalifa. O shopping custou 20 bilhões de dólares e possui 1.200 lojas, hotel, 22 salas de cinemas multiplex stadium, numa praça de alimentação com 160 operações fast-food e 120 restaurantes, uma pista de patinação (Dubai Ice Rink), absolutamente medíocre frente ao concorrente. Mas até a praça de fast-food é de capotar de tão elegantemente que são apresentados os espaços.

O Atlantis das Bahamas foi parar com mais charme ainda no coração das Palmeiras, mas sem se comparar ao Burlj-Al-arab. A mordomia neste “trocentas estrelas” começa no aeroporto, de onde seus hóspedes são levados de helicópteros ou por Rolls-Royce, e seguem com o check-in feito nos quartos, onde o menor mede 170 m2, o maior 780 m2 e tem as malas desfeitas por um mordomo particular, que ainda apresenta treze opções de travesseiros! Brega??? Quero ser a rainha da “breguice” para curtir estas maravilhas.

Fiquei tão fascinada por este Emirado Árabe, que ficaria com calos nos dedos se resolvesse teclar minuciosamente cada motivo do meu encantamento. Para poupar sacrifício de tal monta, sugiro que dêem um Google em Dubai.

Obs.: Os viajantes que esnobam a nova-rica cidade irão passar para a posteridade como simples expectadores das belezas que foram criadas. Mas os tetranetos dos netos dos que estiverem em Dubai, vão saber que um parente do distante século XXI, participou pessoalmente desta história.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

 

Comentários 3

  • Gisele machado11/04/2012 em 20:21

    Otimas dicas . Estou indo a dubai em maio
    Valeu

  • Raquel Fogaca Moraes Barros10/04/2012 em 19:47

    Ana, alem de eu ter achado o maximo a estoria do site, AMEI o seu post sobre “a minha cidade”!! Muito bem escrito, bacana!!!Parabens!!! Um beijo com muita admiracao,

  • Marilena Fairbanks Barbosa10/04/2012 em 19:07

    Adorei o poder de síntese para falar da exuberancia de Dubai. Fui a Dubai “no susto”, sem o menor entusiasmo, esperando encontrar um grande cenário . E… Fiquei fascinada !
    Vou imprimir sua matéria para colocar em meu caderninho de anotações de viajem.
    Tem razão. Um dia nossos tataranetos saberão que participamos desta história !!

  • Adicionar comentário